Home / Espiritismo / Doutrina Espirita / Umbanda e Espiritismo

Umbanda e Espiritismo

Para muitos a Umbanda e o Espiritismo são a mesma coisa, com uma ou outra variante.

Os que assim pensam não refletiram o suficiente sobre os fundamentos de cada doutrina.

Uma análise mais acurada nos mostrará que há, entre essas duas correntes espiritualistas, pontos concordantes e discordantes.

Nota: Esse texto tem o objetivo apenas de esclarecer e instruir. A Doutrina Espírita não condena nem critica qualquer forma ou expressão de culto à divindade. Todas as religiões são respeitáveis e seus adeptos possuem, como estabelecido na nossa Constituição Federal, liberdade de escolha e de culto, seja ele qual for (nota produzida pela Associação Espírita Alan Kardec – SJ Rio Preto).

Vejamos os pontos concordantes:

A Umbanda é espiritualista; o Espiritismo também o é.

A Umbanda rende culto a Deus; o Espiritismo também.

Nas práticas de Umbanda ocorrem fenômenos mediúnicos; no Espiritismo também.

A Umbanda aceita a reencarnação; o Espiritismo também.

Na Umbanda se faz caridade; no Espiritismo também.

Vejamos os pontos discordantes:

O Espiritismo NÃO tem culto material; a Umbanda TEM.

O Espiritismo NÃO prescreve qualquer forma de paramento nem comporta o formalismo de funções sacerdotais; a Umbanda TEM “pais” de terreiro com vestimenta e prerrogativas equivalentes ao exercício de funções sacerdotais.

O Espiritismo NÃO admite uso de imagens; a Umbanda TEM imagens e altares.

O Espiritismo NÃO têm sinais cabalísticos nem símbolos; a Umbanda TEM sinais, “pontos riscados” etc.

O ESPIRITISMO REGE-SE POR UM CORPO DE DOUTRINA HOMOGÊNEA, CODIFICADA POR ALLAN KARDEC; A UMBANDA NÃO SE REGE PELA DOUTRINA CODIFICADA POR ALLAN KARDEC.

O professor J. H. Pires, no capítulo VI – O Mediunismo – de seu livro Mediunidade trata a Umbanda como uma forma de mediunismo.

A sua explicação baseia-se na noção de que mediunismo – definição dada pelo Espírito Emmanuel – designa as formas primitivas de Mediunidade.

Assim, ele discorre sobre a construção racional da Mediunidade através dos ensinamentos de Allan Kardec. A Umbanda, sendo apenas a prática do fenômeno mediúnico, não consegue abarcar o grau de positivação alcançado pela Doutrina dos Espíritos.

Esta é a grande diferença.

Fonte:

AMORIM, Deolindo. O Espiritismo e as Doutrinas Espiritualistas, publicado pelo C. E. Léon Denis.

PIRES, José Herculano. Mediunidade: Vida e Comunicação, publicado pela Edicel.

http://www.ceismael.com.br/Sérgio Biagi Gregório

Sobre Fernando Rossit

Avatar
Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Depoimento de Nelson Xavier após interpretar Chico Xavier

Originally posted 2018-01-15 06:10:36.

Artrite Reumatóide: uma visão Espírita

Iniciando o artigo de hoje, importante mencionar o conceito médico da patologia. A medicina estabelece …

Um comentário

  1. Avatar

    olá, excepcional texto quanto ao conteúdo. de grande importância para nosso crescimento humano. de fundamental relevância a nota da AEAK-RIO PRETO acerca de como deve ser a conduta espírita em relação a outras abordagens de cunho religioso. parabéns pela divulgação da matéria. cordialmente luiz carlos périco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.