sábado , setembro 22 2018
Home / Espiritismo / Colunas / Suicídio: Informação, a chave para Prevenir

Suicídio: Informação, a chave para Prevenir

Você sabe o que significa “morte por lesões autoprovocadas voluntariamente”? Isso mesmo, suicídio. Este é o nome “técnico” adotado pelos estudiosos da área.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a troca de informações sobre o suicídio pode evitar muitos casos: é possível prevenir 90% das mortes se houver condições para oferta da ajuda.

Atualmente o suicídio é responsável por 26 mortes por dia no Brasil. É uma das primeiras causas de morte em homens jovens nos países desenvolvidos e emergentes. Isso mesmo!  Você pensou que fosse o uso de drogas, doenças em geral, acidentes com motos, carros etc., não é?

Conquanto a taxa de suicídio no Brasil tenha se mantido estável, em torno de 5% a cada 100 mil pessoas, por ano, muito pouco se fala sobre o assunto que já se transformou em caso de saúde pública.

No Brasil as taxas maiores se encontram concentradas nos Estados mais ricos.

Vejamos a situação no Brasil e no mundo, conforme figura, abaixo: 

 

 A taxa de suicídio entre os jovens cresceu em torno de 30% por uma conjugação dos seguintes fatores:

1) A sociedade está cada vez menos solidária, o jovem não tem mais apoio. Além disso, está desiludido em relação aos ideais que outras gerações tiveram.

2) Há ainda uma pressão social para ser feliz, principalmente nas redes sociais. Todo mundo tem que se sentir ótimo. A obrigação de ser feliz gera tensão no jovem.

3) Mais de 95% das pessoas que se suicidam têm diagnóstico de doença psiquiátrica.

4) Junte-se tudo isso ao maior consumo de álcool e drogas e a bomba está armada.

(Psiquiatra José Manoel Bertolote, autor de “O Suicídio e sua Prevenção”)

Vale lembrar que a maior taxa de suicídio por faixa etária ainda é a dos homens acima dos 65 anos de idade.

PREVENÇÃO (ainda, de acordo com o livro citado)

-A troca de informações sobre o suicídio pode evitar muitos casos: de acordo com a OMS, é possível prevenir 90% das mortes se houver condições para oferta da ajuda.

-Quem pensa em suicídio está passando por um sofrimento psicológico e não vê como sair disso. Mas não significa que queira morrer.

-O sentimento é ambivalente: a pessoa quer se livrar da dor, mas quer viver. Por dentro, vira uma panela de pressão. Se ela puder falar e ser ouvida, além de diminuir a pressão interna, passa a se entender melhor.

Todos conhecemos aquela estória de que quem quer se matar, se mata mesmo e não fica ameaçando, não é? Pois bem, os pesquisadores descobriram que essa ideia é totalmente falsa. Em pesquisa realizada com familiares de suicidas, eles constataram que quase a totalidade deles, ao menos uma vez, disseram que iriam se matar. Portanto, muita atenção quando você ficar sabendo que um parente, amigo ou conhecido, disse que iria se matar. Leve a sério e faça a sua parte para ajudar.

A Doutrina Espírita, por meio de inúmeros livros autorais e psicografados, tem oferecido esclarecimentos preciosos a respeito deste tema.

No extraordinário “Memórias de um Suicida”, uma das melhores obras psicografadas existentes, encontramos a seguinte passagem:

 Quem se atira no suicídio espera livrar-se de sofrimentos considerados insuportáveis…”

“Também eu pensei assim.”

“Enganei-me, porém, e sofrimentos milhões de vezes maiores me esperavam dentro do túmulo onde me escondi, pensando escapar às dores do corpo físico.”

(espírito Camilo Castelo Branco, psicografia de Ivonne Pereira)

 

 Em o “Livro dos Espíritos”, nas questões de nºs 944 e 957 encontramos os seguintes esclarecimentos:

944 – Tem o homem o direito de dispor da sua vida?

R: Não; só a Deus assiste esse direito. O suicídio voluntário importa numa transgressão da Lei de Deus.

957 – Quais, em geral, as consequências do suicídio?

R: Muito diversas (…..). Há, porém, uma consequência a que o suicida não pode escapar; é o desapontamento.

 Outras informações espirituais:

 PARA ONDE VAI UM SUICIDA

1) Alguns suicidas sentem-se presos ao corpo de tal modo que, leva-os a ver e sentir os efeitos da decomposição;

2) Outros vão para as regiões umbralinas (região destinada a esgotamento de resíduos mentais);

3) Outros tornam-se presas de obsessores, que as vezes, também foram suicidas, entidades perversas e criminosas, que sentem prazer na prática de vilezas, e que continuam vivendo na Terra ao lado dos homens, contaminando a sociedade, os lares terrenos que não lhes oferecem resistências através da vigilância dos bons pensamentos e prudentes ações.

COMO REENCARNA UM SUICIDA?

-Geralmente renascem com defeito ou deficiência no órgão afetado por ocasião do suicídio.

-Mas o resgate não é igual para todos.

Por exemplo: Jerônimo, personagem do livro “Memórias de um Suicida”, que se matou com um tiro no ouvido porque sua empresa faliu, deixando esposa e filhos em situação difícil, reencarnou em família rica, com o propósito de não formar família, montar uma instituição para crianças órfãs, e ir à ruína financeira novamente, para ter que lutar com coragem. Seria um teste para ele; Camilo, personagem principal do livro referido, tornou-se grande trabalhador no Vale dos Suicidas e, após 50 anos, reencarnou para cegar aos 40 anos e desencarnar aos 60 anos. Como vemos, ambos deram um tiro no ouvido, mas o resgate foi diferente.

Fontes:

-O Livro dos Espíritos;

-Folha de São Paulo (vários artigos);

-Memórias de um Suicida;

Sobre Fernando Rossit

Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Benefícios da Água Magnetizada na Melhora da Qualidade de Vida

A água, elemento formado por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio é fundamental …

O Espiritismo e o Orgulho

Para o espiritismo, o orgulho é o pai de todos os males, é ele que …