Home / Espiritismo / Colunas / Sintonia e Pressentimentos – Sidney Fernandes

Sintonia e Pressentimentos – Sidney Fernandes

pressentimento

Ah! Interrogai vossos anjos guardiães; estabelecei entre eles e vós essa ternura íntima que reina entre os melhores amigos.

Allan Kardec, questão 495, O Livro dos Espíritos

 

Lembro-me do ocorrido, em minha infância, num dia em que eu, meu pai e minha mãe saíamos de um clube, depois de uma manhã na piscina. Acomodados na cabine de sua caminhonete, ele estava pronto para ligar a ignição, quando minha mãe falou, chamando-o pelo costumeiro apelido carinhoso:

— Nego! Espere! Dê uma olhada atrás do carro.

— Já olhei, Aparecida. Está tudo em ordem.

— Olhe de novo!

Entre irritado e curioso, obedeceu. Acompanhei-o. Para surpresa de todos nós, havia uma criança, abaixo da linha de visão, brincando bem próxima das rodas do veículo.

-x-

        O pressentimento é sempre uma advertência do Espírito protetor?  

        É o conselho íntimo e oculto de um Espírito que vos quer bem. Está também na intuição da escolha que se fez e é a voz do instinto. O Espírito, antes de encarnar, tem conhecimento das principais fases de sua existência, quer dizer, do gênero de provas nas quais se obriga. Quando estas têm um caráter marcante, ele conserva, no seu foro íntimo, uma espécie de impressão, que é a voz do instinto, despertando quando o momento se aproxima, como pressentimento.

O Livro dos Espíritos, questão 522

-x-

Um grande orador espírita estava sendo conduzido pelas ruas do Rio de Janeiro. A Casa Espírita em que iria falar ficava em um dos subúrbios, próximo de conhecida e perigosa região dominada pelo tráfico.

Ao se aproximar do destino, embora o navegador indicasse determinado itinerário, mesmo sem conhecer o Rio, teve a intuição de seguir outro caminho.

Ao chegar ao local da palestra, os anfitriões estavam preocupados. Experientes e conhecedores da região, haviam sabido de sério conflito, exatamente no percurso por onde o orador deveria, normalmente, ter passado.

Perigosa troca de tiros entre traficantes e polícia militar poderia ter-lhe trazido algum transtorno. Todos tiveram plena consciência da proteção espiritual que haviam recebido.

                Se o indivíduo alvejado não tem que perecer desse modo, o Espírito bondoso lhe inspirará a ideia de se desviar, ou então poderá ofuscar o que empunha a arma, de sorte a fazê-lo apontar mal, porquanto, uma vez disparada a arma, o projetil segue a linha que tem de percorrer.

O Livro dos Espíritos, questão 528

Foram avisos de Espíritos protetores? Podem ter sido. Quando fazemos por merecer, os guardiães se manifestam, poupando-nos dissabores.

Mas, pode ter-se manifestado também a voz do instinto. Conhecendo, no ato da reencarnação, o gênero de provas que vamos passar, pode ocorrer que Deus nos permita o pressentimento.

Pode ser também aquilo que Kardec chama de precisão do golpe de vista moral, que nada mais é do que a potencialização dos sentidos, dando ao indivíduo melhor tato, maior perspicácia e uma espécie de segurança de seus atos.

Seja, porém, por influência de protetores, por conhecimento prévio do fato ou por superexcitação dos sentidos, ou por combinação dessas faculdades, dois fatores são indispensáveis, para que a graça se manifeste: mérito e sintonia com os bons espíritos.

Se cultivamos a bondade, a tolerância e a solidariedade, se nos esforçamos para superar erros e más tendência e nos colocamos cotidianamente em contato com o Alto, criamos condições para que muitos males sejam prevenidos e dores evitadas.

Mérito e sintonia com o bem – características do Espírito que leva a sério a sua oportunidade evolutiva.

Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br

Sobre Sidney Fernandes

Avatar
Sidney Fernandes (1948@uol.com.br) nasceu em Bauru, em 1948. Gerente do Banco do Brasil e Empresário, hoje está aposentado e se dedica integralmente à veiculação do Espiritismo. Participou ativamente da Mocidade Espírita até integrar-se ao Centro Espírita Amor e Caridade de Bauru (SP). Escritor e orador profere palestras em várias cidades brasileiras. Veja página deste Autor

Veja

Uma Cachorrinha muito Especial – por Sidney Fernandes

Mafalda não sabia mais o que fazer com sua filha Luciana, que estava perdidamente apaixonada …

Nossas Obras Ficam Conosco – por Sidney Fernandes

1948@uol.com.br Quando se fala em holocausto, logo nos lembramos dos seis milhões de judeus que …