segunda-feira , fevereiro 18 2019
Home / Espiritismo / Colunas / Sempre à Frente, mas Olhando para Trás

Sempre à Frente, mas Olhando para Trás

O anseio pelo progresso nos seres conscientes é natural, mas é facilmente compreendido apenas como de natureza material, em negligência ao progresso espiritual.

Para todos os efeitos, no entanto, é preciso esforço para consegui-los, e a questão foi objeto de estudo por parte de Allan Kardec:

“A força para progredir, haure-a o homem em si mesmo, ou o progresso é apenas fruto de um ensinamento? “O homem se desenvolve por si mesmo, naturalmente, mas nem todos progridem simultaneamente e do mesmo modo. Dá-se então que os mais adiantados auxiliam o progresso dos outros, por meio do contato social”. (O Livros dos Espíritos, item 779)

Observa-se, pela resposta dada pelos Benfeitores Espirituais, dois aspectos a serem analisados; o primeiro é a diversidade de entendimento em relação ao “poder” pessoal para promover o auto progresso. O segundo, decorrente do texto que negritamos, diz respeito à Lei de Amor, quando os Benfeitores deixam claro que todos temos o dever de auxiliar no progresso alheio, naquilo que nos é possível fazer.

Em questão anterior, na mesma obra, os Benfeitores encarregados da implantação do Consolador prometido por Nosso Senhor Jesus Cristo (Jo 14:26) já haviam deixado isso claro:

“Confiou Deus a certos homens a missão de revelarem a sua Lei? “Indubitavelmente. Em todos os tempos houve homens que tiveram essa missão. São Espíritos superiores, que encarnam com o fim de fazer progredir a Humanidade”. (Item 622)

O texto por nós negritado nos conscientiza de que sempre teremos a quem ajudar, não importa o ponto da escala evolutiva em que estivermos.

Embora a obrigação natural de socorrer os atrasados já esteja explícita, convém verificarmos a insistência dos Instrutores Maiores no assunto:

“Não esqueçais nunca que o Espírito, qualquer que seja o grau de seu adiantamento, sua situação como reencarnado, ou na erraticidade, está sempre colocado entre um superior, que o guia e aperfeiçoa, e um inferior, para com o qual tem que cumprir esses mesmos deveres.” (O Livro dos Espíritos, item 888a, assinada pelo Espírito São Vicente de Paulo)

Devemos nos lembrar também que, para socorrer a quem quer que seja, e em qualquer campo, é preciso sentimento elevado:

“Misericórdia quero, e não sacrifícios”, pediu Nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 9:13).

Dessa forma, que possamos buscar o progresso em todos os campos, sem nos esquecermos do próximo, afinal de contas, é o que gostaríamos que a nós fosse feito, lembrando que sempre o é, pela Misericórdia Divina.

Pensemos nisso.

Antônio Carlos Navarro

Sobre Antonio Carlos Navarro

Espírita de São José do Rio Preto - SP Frequentador e Dirigente do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier em São José do Rio Preto, SP. Estudioso, palestrante e editor de inúmeros textos e conteúdo Espírita Gênero de livros Espírita que prefere: Mediunidade, Doutrinário Iniciou seus primeiros contatos com a Doutrina Espirita: 1986

Veja

Imaginemos

Imaginemos um povo vivendo sob o poder de outro povo há mais de sessenta anos, …

“Seo” Arvito

O senhor Arvito (1) foi um homem exemplar, e tivemos um prazer especial em conviver …