Home / Espiritismo / Doutrina Espirita / QUO VADIS NOSSO MUNDO INTERIOR? – Dr. Marcelo Occhiutto – 1a. parte

QUO VADIS NOSSO MUNDO INTERIOR? – Dr. Marcelo Occhiutto – 1a. parte

QUO VADIS NOSSO MUNDO INTERIOR?

Dr. Marcelo Occhiutto

PRIMEIRA PARTE

1 – Panorama atual da ansiedade e da depressão na sociedade

Se tivéssemos a possibilidade de vislumbrar nosso mundo, panoramicamente, do alto, na estratosfera, visualizando com uma lente de aumento poderosíssima cada agrupamento humano no planeta Terra, constataríamos o que já percebemos em pequenas amostras de nossas comunidades ou cidades onde vivemos: a ansiedade, assim como outras doenças de caráter emocional como a depressão, tem aumentado de uma forma assustadora. Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgadas em 2017, 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade, e a depressão afeta 5,8% de nossa população. Parecem números pequenos, mas estamos falando de milhões de pessoas, já que nossa população passa dos 200 milhões de habitantes.

Considerando ainda que as estatísticas conseguem registrar um número muito menor que o real, já que muitos sofrem desses males em silêncio e, sem procurar ajuda médica que faça uma notificação ou registro, não entrarão na contagem para revelar-nos o número real da “tristeza patológica”.

E tais números alarmantes se repetem em todo o mundo. Os dados da OMS mostram que o problema é realmente global. São 322 milhões de pessoas com depressão em todo o mundo – 4,4% da população e 18% a mais do que há dez anos, sendo que, no Brasil, em 2015, eram 11,5 milhões com a doença e 18,6 milhões com transtorno de ansiedade.

Segundo a OMS, a depressão é a doença que mais contribui com a incapacidade laboral no mundo. Ela é também a principal causa de mortes por suicídio, com cerca de inaceitáveis 800 mil casos por ano.  Além da depressão, 264 milhões de pessoas ao redor do mundo sofrem com transtornos de ansiedade, uma média de 3,6%. O número representa uma alta de 15% em comparação a 2005.

Mas hoje não temos muito mais tecnologia em nossas vidas, em nossos trabalhos, em nossas relações? A vida não estaria mais fácil do que nas gerações de nossos pais e avós? O paradoxo da tecnologia da informação reside no fato de que algo que deveria suavizar nossa vida, fazendo com que tivéssemos mais tempo para nos ocupar com as questões fundamentais de nossa necessidade evolutiva, está justamente provocando o inverso, já que favorece o isolamento e a falsa noção de que somos autossuficientes.

Por que será então que a maioria dos seres humanos se encontra, aparentemente, cada vez mais insatisfeita e infeliz?

Não se pode querer encontrar uma resposta simplista para a complexidade imensa que tal questão promove! Os próprios especialistas em Saúde Mental indicam que é difícil indicar uma causa isolada para explicar a alta taxa de transtornos de ansiedade e depressão, já que, ao contrário de outras doenças, são múltiplos os fatores que atuam de forma conjunta para criar o cenário propício que, pouco a pouco, faz com que se instalem tais males em nossa mente

 – CONTINUA NA SEGUNDA PARTE –

 

DR. MARCELO OCCIUTTO É ESCRITOR, MÉDICO OFTALMOLOGISTA E PARTICIPA DO CENTRO ESPÍRITA PERSEVERANÇA EM SÃO PAULO (SP).

Sobre Sidney Fernandes

Avatar
Sidney Fernandes (1948@uol.com.br) nasceu em Bauru, em 1948. Gerente do Banco do Brasil e Empresário, hoje está aposentado e se dedica integralmente à veiculação do Espiritismo. Participou ativamente da Mocidade Espírita até integrar-se ao Centro Espírita Amor e Caridade de Bauru (SP). Escritor e orador profere palestras em várias cidades brasileiras. Veja página deste Autor

Veja

Notórios Absurdos

Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br … o mal está em apresentar seriamente coisas que são notórios …

Espiritismo não se Aprende Brincando

Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br Allan Kardec recebeu, como costumava fazer, com boa fé e cortesia, …