Home / Espiritismo / Colunas / Quais são os tipos de Espíritas?

Quais são os tipos de Espíritas?

Em Conclusão, em O Livro dos Espíritos, no item VII, Allan Kardec anota:

“O Espiritismo se apresenta sob três aspectos diferentes: o das manifestações, o dos princípios e da filosofia que delas decorrem e o da aplicação desses princípios. Daí, três classes, ou, antes, três graus de adeptos:

1º os que creem nas manifestações e se limitam a comprová-las; para esses, o Espiritismo e uma ciência experimental;

2º os que lhe percebem as consequências morais;

3º os que praticam ou se esforçam por praticar essa moral.

Qualquer que seja o ponto de vista, científico ou moral, sob que considerem esses estranhos fenômenos, todos compreendem constituírem eles uma ordem, inteiramente nova, de ideias, que surge e da qual não pode deixar de resultar uma profunda modificação no estado da Humanidade e compreendem igualmente que essa modificação não pode deixar de operar-se no sentido do bem.”

O interesse pelo maravilhoso, pelo fenômeno e pelo sobrenatural ainda é uma realidade muito viva entre nós, e se sobrepõe à curiosidade para desvendar do que se trata, ou qual seria a razão da fenomenologia espiritual. Como a diversidade humana é muito grande, no que se refere ao desenvolvimento intelecto-moral, há, naturalmente, diversos entendimentos a respeito.

No entanto, devido ao fatalismo imposto por Deus às Suas criaturas, a perfeição, mais cedo ou mais tarde todos se interessarão pelo aspecto moral decorrente da intervenção espiritual no mundo material.

Essa condição está expressa, ainda em O Livro dos Espíritos:

O Espiritismo se tornará crença comum, ou ficará sendo partilhado, como crença, apenas por algumas pessoas?

Certamente que se tornara crença geral e marcará nova era na historia da Humanidade, porque esta na natureza e chegou o tempo em que ocupará lugar entre os conhecimentos humanos. Terá, no entanto, que sustentar grandes lutas, mais contra o interesse, do que contra a convicção, porquanto não há como dissimular a existência de pessoas interessadas em combatê-lo, umas por amor-próprio, outras por causas inteiramente materiais. Porém, como virão a ficar insulados, seus contraditores se sentirão forçados a pensar como os demais, sob pena de se tornarem ridículos.(1)

À resposta dada pelos Espíritos Superiores, comenta Allan Kardec:

“As ideias só com o tempo se transformam; nunca de súbito. De geração em geração, elas se enfraquecem e acabam por desaparecer, paulatinamente, com os que as professavam, os quais vem a ser substituídos por outros indivíduos imbuídos de novos princípios, como sucede

com as ideias políticas. Vede o paganismo. Não ha hoje mais quem professe as ideias religiosas dos tempos pagãos. Todavia, muitos séculos apos o advento do Cristianismo, delas ainda restavam vestígios, que somente a completa renovação das raças conseguiu apagar. Assim será com o Espiritismo. Ele progride muito; mas, durante duas ou três gerações, ainda haverá um fermento de incredulidade, que unicamente o tempo aniquilara. Sua marcha, porem, será mais célere que a do Cristianismo, porque o próprio Cristianismo e quem lhe abre o caminho e serve de apoio. O Cristianismo tinha que destruir; o Espiritismo só tem que edificar.

“Bebe água mais limpa quem chega primeiro à fonte”, diz o ditado popular, e que poderíamos adaptar para a condição dos que acessam o conhecimento espírita e se esforçam por compreendê-lo. Adquirem condições de acertar mais, errando menos, tirando com isso melhor proveito da encarnação aqueles que optam pelo estudo e pela prática da moral decorrente dos seus ensinos. É o progresso que se acelera em benefício dos que se esforçam para consegui-lo, não nos esquecendo que a soma do progresso individual trará como resultado o progresso da humanidade, e a conseqüente alteração do estágio evolutivo do planeta.

É uma reação em cadeia que se acelera na medida em que quanto mais nos desenvolvemos, mais adquirimos a consciência de que, por nossa vez, poderemos ajudar o progresso daqueles que conosco ombreiam a escalada evolutiva, assim como o fazem os Espíritos Superiores, capitaneados por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Pensemos nisso.

Antônio Carlos Navarro

Quais são os tipos de Espíritas

Referência:
(1) O Livro dos Espíritos, item 798.

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em
<http://www.goodfon.su/download/my-early-morning-devochka/1280×720>.
Acesso em: 17MAI2016.

Sobre Antonio Carlos Navarro

Avatar
Espírita de São José do Rio Preto - SPFrequentador e Dirigente do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier em São José do Rio Preto, SP. Estudioso, palestrante e editor de inúmeros textos e conteúdo EspíritaGênero de livros Espírita que prefere: Mediunidade, DoutrinárioIniciou seus primeiros contatos com a Doutrina Espirita: 1986

Veja

Conflitos humanos

A agressividade e a violência comportamental são traços da personalidade humana, nos mais diversos graus, …

Reforma da Previdência versus Lei do Trabalho

“Meu Pai trabalha até agora, eu também trabalho” – Jesus (Jo 6:17) Estamos em meio …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.