Home / Espiritismo / Doutrina Espirita / Problemas dos Outros – Leitura do Livro Rumo Certo

Problemas dos Outros – Leitura do Livro Rumo Certo

Leitura do Livro: Rumo Certo
Escrito por: Francisco C. Xavier
Ditado por: Emmanuel
Capítulo 43 – Problemas dos Outros

No que se refere à inquietação, às vezes os problemas que nos atingem não são
propriamente nossos, mas dos outros.

Estaremos em paz de consciência, todavia, entes amados terão assumido compromissos
graves, suscitando-nos desajuste e insegurança.
Possuímos, por enquanto, o nome inatacado; no entanto, criaturas profundamente ligadas
a nós surgem sofrendo o assédio da injúria, com ou sem razão, impelindo-nos ao desejo
de preservá-las contra as pedras que lhes dilapidam a imagem.
Com o amparo de certas escoras morais, conseguimos sustentar-nos relativamente livres,
quanto aos arrastamentos do coração; entretanto, afligimo-nos, como é justo, por almas
abençoadas de nosso convívio que aparecem na arena das lutas afetivas, suportando
conflitos difíceis de carregar.

Sob a proteção de facilidades transitórias que nos resguardam a segurança, acalentamos
a própria resistência, diante das tentações que nos enxameiam a estrada, mas entes
queridos haverão tombado em delinqüência, impulsionando-nos ao anseio de ajudá-los na
recuperação da própria paz.
Como, porém, auxiliá-los de nossa parte?
Saberíamos, porventura, orientar-lhes o tratamento restaurador se ignoramos toda a
extensão e conteúdo da influência que os precipitou na sombra mental em que se
debatem? E como poderíamos julgá-los se lhes desconhecemos o drama comovedor,
desde o princípio?

Seria desumano golpear a ferida, sob o pretexto de socorrer o doente, e não seria lógico
traçar diretrizes em territórios acerca dos quais não possuímos ainda qualquer
experiência.
Ante os problemas daqueles que nos rodeiam, contudo, podemos ouvi-los com paciência
e caridade, doando-lhes esperança e consolo. E, acima de tudo, cabe-nos recordar que a
luz da Divina Providência está em nós, tanto quanto neles, e que, por isso mesmo, o
máximo auxílio que nos será lícito prestar-lhes será sempre respeitar-lhes as escolhas e
decisões, orando por eles e rogando à mesma Providência Divina os guie e esclareça,
ampare e ilumine, reconhecendo que, no íntimo das próprias vidas, são todos eles tão
livres e responsáveis, diante de Deus, quanto nós.

 

Caro Amigo:

As casas de caridade vivem de contribuições alheias, ao adquirir um livro espírita, você estará ajudando-as, pois os direitos autorais dos mesmos são a elas destinadas. Então caso tenhas condição de comprá-lo faça-o.
Que Jesus o Abençoe,

Muita Paz!

Sobre Alan Paschoal

Avatar
:^D

Veja

Apostilas da Vida – Libertemo-nos

Leitura do Livro: Apostilas da Vida Escrito por: Chico Xavier Ditado por: André Luiz Capítulo: Libertemo-nos O homem, …

A Pureza da Não-violência.

A Pureza da Não-violência. Ainda na série Não-violência como ferramenta de mudanças e ações sociais, motivados …