Home / Espiritismo / Colunas / Pensando Sobre Jesus

Pensando Sobre Jesus

Jesus foi uma pessoa brilhante. Lúcido, sério, nobre, perspicaz e amoroso. Tinha sensibilidade. Lia as almas. E por isso nenhuma conduta ou sentimento o surpreendia. Mesmo ciente das imperfeições humanas viveu em companhia de homens comuns, ensinou a homens comuns, deu missões de fundamental importância a homens comuns.

Quais os motivos que o levaram a confiar o futuro da humanidade a estes homens, primeiro seus discípulos, aprendizes, em seguida seus apóstolos, encarregados de difundir sua palavra?

Jesus sabia que todos amadurecem e evoluem através do amor e do conhecimento, e tendo dado ambos a esses homens, exemplificou cada ensinamento; permitiu que seus discípulos fossem testados para que, na forja da vida, estivessem prontos quando esta mesma vida lhes exigisse posicionamento – abandonariam seus ideais ou se comprometeriam a espalhar a verdade cristã pelo mundo?

Tinha conhecimento que a humanidade terrena era imperfeita moralmente, consciente também que se esperasse uma só pessoa perfeita para realizar o trabalho de divulgação da natureza amorosa do Criador, sua obra faliria imediatamente após sua desencarnação.

Com sabedoria, Jesus escolheu contar com homens comuns com potencial para se tornaram missionários da luz. E assim fez mais por nós do que percebe-se sem uma reflexão mais aprofundada: Ele provou que todos os imperfeitos que aceitam a vibração do amor e abrem a alma ao conhecimento, criam para si potenciais angélicos que os tornam missionários da luz onde estiverem, aonde forem.

Que bela lição! Que sentimento grandioso! Que expectativa memorável! Que infinito amor! Com singeleza e através da confiança que depositou naqueles que escutaram seus ensinamentos quando estiveram com Ele, Jesus disse a todos os homens, de todos os tempos, que Deus conta com eles e que todos são capazes de contribuir com a obra divina.

Comemorar a vinda de Jesus à Terra é recepcionar essa mensagem. Somos imperfeitos ainda, sim, todavia em nós reside a confiança do Cristo e de Deus, de que podemos fazer muito, ainda que façamos esse muito no pouco. E se Eles confiam em nós, confiemos também, façamos o que nos compete.

Feliz Natal e mais ano de saúde e realizações.

Paz!

By Vania Mugnato de Vasconcelos?

Sobre Vania Mugnato de Vasconcelos

Avatar

Veja

O Frio que Enregela a Alma

Não é incomum que só a aflição pessoal motive suficientemente o ser humano, alterando sua …

A Fraqueza dos Bons

Filmes de ação comumente têm heróis que apanham, são ingênuos, pouco se defendem, quase morrem …