sexta-feira , dezembro 14 2018
Home / Espiritismo / Comportamento / O Espiritismo e o Orgulho

O Espiritismo e o Orgulho

Para o espiritismo, o orgulho é o pai de todos os males, é ele que desencadeia todos os outros defeitos. Não é difícil constatar essa verdade. É por orgulho que discutimos, é por orgulho que brigamos, é por orgulho ferido que nos magoamos, é o orgulho que dificulta o perdão.

É interessante notar que o orgulho é um exagero do amor-próprio, e o amor-próprio é necessário; você deve amar a si mesmo. Mas o orgulho exagera esse sentimento, que deixa de ser amor para se transformar numa coisa doentia.

Existem o bom e  mau orgulho. É que a linguagem humana não tem palavras suficientes para expressar tudo. O bom orgulho seria o orgulho que se tem dos filhos, o orgulho do lugar onde se nasceu, a satisfação consigo mesmo.

O problema é saber os limites desses sentimentos. Eu tenho orgulho dos meus filhos. Mas não posso achar que eles são melhores que os outros. Eu sou patriótico, mas não posso transformar isso em nacionalismo. Fico muito satisfeito comigo mesmo quando consigo realizar o que me proponho. Mas tenho que tomar cuidado para não me achar mais do que sou na verdade.

Talvez a manifestação mais comum do orgulho no dia-a-dia seja o não saber perder. Isso acontece todos os dias. Não queremos perder nada pra ninguém, não aceitamos ser preteridos em nada. Você não é assim? Você não quer perder uma discussão, você não quer que o outro carro ultrapasse o seu,  você não quer perder a promoção na empresa, você não quer perder o namorado, você não quer que o seu time perca, você não quer perder nem par ou ímpar.

É claro que devemos ser competitivos. É bom querer ser sempre mais e melhor. Mas para isso não precisamos esmagar quem está por perto. E não podemos competir por competir.

Por que dói tanto ficar para trás? Por que é tão amargo o gosto da derrota? Porque na maioria das vezes perdemos pra nós mesmos, e é extremamente difícil reconhecer nossas falhas, nossas fraquezas, nossa incompetência. Por causa do orgulho.

Quer uma demonstração disso? Lembre-se da última vez em que você discutiu com alguém. Lembra que você revidou as críticas? Você já parou pra pensar porque sempre se revida a crítica num bate-boca? Para evitar que ela se repita. Revidamos imediatamente a crítica para não termos que ouvi-la de novo. Porque se prestarmos atenção à crítica, teremos que olhar pra dentro de nós mesmos. E nada fere tão profundamente o orgulho como olhar pra dentro de si mesmo.

Se você olha pra dentro de si mesmo, se você se vasculha interiormente, descobre montes de lixo que o orgulho não aceita como sendo seus. É o orgulho que nos impede de olhar pra dentro de nós mesmos. Pelo orgulho, nos achamos grande coisa, nos achamos muito mais do que somos na verdade.

Não é de um dia pro outro que vamos nos livrar de um defeito que nos acompanha há milênios. O orgulho é uma verdadeira chaga na tragetória do espírito imortal. Mas não podemos mais ser condescendentes com nós mesmos. Não temos, na atual reencarnação, a desculpa da ignorância, do desconhecimento. Então já passou o tempo de dizer, simplesmente, “eu sou assim”. Você é assim? Pois deixe de ser! (Não se aborreça; essa última frase eu disse pra mim mesmo, me olhando no espelho que tenho à minha frente).

Não há fórmula mágica para se livrar de um defeito tão entranhado em nosso espírito. É um exercício diário. Analise mais a si mesmo, faça boas leituras, seja mais tolerante. Aceite perder, de vez em quando. Você é especial, não há dúvida em relação a isso. Mas todos são especiais. Todos somos filhos de Deus, criados à sua imagem e semelhança; portanto, perfectíveis. Reforma íntima é um hábito. É a escolha de uma vida.

Texto de Morel Felipe Wilkon

Sobre Fernando Rossit

Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Estranho Cansaço

Quando você estiver pensando: nas hostilidades do mundo… nas aflições capazes de surgir… nos erros …

Os Quadros de Depressão no Fim de Ano

Os quadros de depressão no fim de ano são muito comuns, podendo aparecer, particularmente, entre …