Home / Espiritismo / Colunas / Nossos Desejos Inconfessáveis

Nossos Desejos Inconfessáveis

DESEJO 2

O julgamento para depreciar é um ato extremamente injusto e descaridoso. Sabemos bem o pensamento de Jesus a respeito: -“não julgueis”.

Mais grave ainda, podendo trazer grande sofrimento à vítima, é a calúnia.

O médium e orador espírita Divaldo Pereira Franco diz que o caluniador é tão perspicaz que sabe que a pessoa caluniada ficará em apuros para conseguir “provar” que é tudo mentira. O caluniador sabe que, mesmo que não acreditem muito no que está dizendo, uma “duvidazinha sempre vai ficar no ar”. Alguns dirão: – mas será mesmo que Fulano não estava certo quando falou aquilo de Ciclano?

Penso que a calúnia seja o mais alto grau da maledicência.

Maledicência é o ato de falar mal das pessoas. Definição bem amena para um dos maiores flagelos da Humanidade. É mais terrível que uma agressão física. Muito mais que o corpo, fere a dignidade humana, conspurca reputações, destrói existências.

Lars Ullerstam, em seu livro “As minorias Eróticas” (pg.47), escreve:

“Afirma Freud que aquele que tem desejos que não ousa confessar a si mesmo, atribui-os ao próximo. Chama-se a isto projetar seus motivos sobre os outros. Mas o homem etnocêntrico não se contenta apenas em “constatar a imoralidade”; ele a combate onde quer que julgue encontrá-la. Ele luta, portanto, contra o “diabo” inclusive em sua própria carne, mas sai-se dos apuros de maneira que outros sofram em seu lugar. Isto explica porque a crueldade dos moralistas lhes dá uma “consciência tranquila”. Acreditam estar sempre agindo com justiça.”

(Etnocentrismo é um conceito antropológico que ocorre quando um determinado indivíduo ou grupo de pessoas, que têm os mesmos hábitos e caráter social, discrimina outro, julgando-se melhor ou pior, seja por causa de sua condição social, pelos diferentes hábitos ou manias, por sua forma de se vestir, ou até mesmo pela sua cultura.[wikipédia])

Os estudiosos da psique humana são unânimes em reconhecer essa projeção: acusamos no outro aquilo que abominamos em nós e não queremos ou temos vergonha de mostrar.

4

Nada de novo até aí. Jesus fala sobre isso também:

Por que vês tu, pois, o argueiro no olho do teu irmão, e não vês a trave no teu olho? Ou como dizes a teu irmão: Deixa-me tirar-te do teu olho o argueiro, quando tens no teu uma trave? Hipócrita, tira primeira a trave do teu olho, e então verás como hás de tirar o argueiro do olho de teu irmão. (Mateus, VII: 3-5).

DESEJO 1 ALVARES DE CAMPOS

 Fernando Rossit

Sobre Fernando Rossit

Avatar
Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Profissão

Uma das nossas graves preocupações, na qualidade de pais, diz respeito à escolha da profissão …

A Corrupção está na Alma do Brasileiro?

Entrevista de Richard Simonetti sobre corrupção. 1 – Sucedem-se os governos no Brasil e perpetua-se …