segunda-feira , março 25 2019
Home / Espiritismo / Colunas / Não Cai uma Folha da Árvore se não for a Vontade de Deus – esta frase está no Evangelho de Jesus?

Não Cai uma Folha da Árvore se não for a Vontade de Deus – esta frase está no Evangelho de Jesus?

Uma frase famosa que escutamos com frequência de oradores espíritas e religiosos em geral, nos faz refletir sobre o Novo e o Velho Testamento, seus textos e contextos.

E a dúvida que fica é se realmente está escrito na Bíblia a frase “não cai uma folha sequer de uma árvore sem a permissão de Deus”.

Não é um questionamento atual, vem de tempos atrás.

No Evangelho de Jesus definitivamente não está. Pelo menos nenhum evangelista a anotou.

Existem, no entanto, no Velho Testamento, algumas passagens sobre uma possível referência à propositura acima, nenhuma literal.

Mesmo que o argumento seja o Contexto de Isaías capítulo 40,12-31, que nos apresenta Deus soberano, que possui domínio sobre o universo e faz tudo aquilo que deseja realizar, não podemos asseverar que a frase “não cai uma folha se quer de uma árvore sem a permissão de Deus” faz parte dos textos bíblicos de forma concreta e interpretativa.

O único lugar que encontramos essa frase, não literalmente, é no Alcorão – o livro sagrado dos mulçumanos. Vejamos:

“Ele possui as chaves do incognoscível, coisa que ninguém, além d’Ele, possui; Ele sabe o que há na terra e no mar; e não cai uma folha (da árvore) sem que Ele disso tenha ciência; não há um só grão, no seio da terra, ou nada verde, ou seco, que não esteja registrado no livro lúcido” (6ª Surata, versículo 59).

Observe que o texto acima diz que Deus tem ciência da sua criação, pois tem conhecimento quando uma folha cai. Mas não fala em permissão de Deus para que ela caia.

A Onisciência é um atributo de Deus, considerando que Ele possui todas as qualidades em estado infinito.

Por definição, ser onisciente é deter todo o saber, saber tudo de tudo, incluindo pensamentos, sentimentos, vida, passado, presente, futuro, e todo universo.

A nosso ver, essa frase de cunho público, mas que não tem base original nos Evangelhos, pode possuir duas interpretações, uma correta e outra não:

1) Interpretação Correta: Deus é Onisciente, isto é, Ele tem o saber absoluto de tudo. Tem conhecimento infinito sobre todas as coisas, possui ciência total daquilo que ocorre na Sua criação, sabe de tudo o que acontece, porque está presente em tudo.

2) Interpretação Errada: Todos os acontecimentos estariam programados por Deus e nada aconteceria sem a Sua Vontade. Nesse caso haveria um determinismo para tudo. Trata-se de interpretação equivocada, pois estaríamos atribuindo a Deus todos os acontecimentos humanos, bons e ruins. Deus seria o grande responsável por todo Bem, mas também pelo sofrimento e mal que existem no mundo.

Considerando verdadeira essa tese, nos eximiríamos de qualquer responsabilidade por nossos atos errados: afinal de contas, tudo já havia sido programado por Deus, até a nossa própria queda.

Fernando Rossit

Fonte de apoio: http://www.abiblia.org

Sobre Fernando Rossit

Avatar
Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Curso de Autodescobrimento

Curso: Autodescobrimento (estudo do livro “Autodescobrimento-Uma Busca Interior”, de Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis) Início: …

O que é Reencarnação – por Alexandre Caldini