quinta-feira , outubro 19 2017
Home / Espiritismo / Colunas / Morte Violenta – O que Pode Ocorrer com o Espírito?

Morte Violenta – O que Pode Ocorrer com o Espírito?

A sensações que os Espíritos experimentam imediatamente após a desencarnação variam muito. Depende das circunstâncias em que se deu a morte e da evolução do Espírito, principalmente.

No caso de mortes violentas como acidentes e assassinatos, podemos resumir assim:

1-não perceber que desencarnou e continuar agindo como se estive entre nós ainda, até que no momento propício possa ter o esclarecimento por parte dos Bons Espíritos (nunca ficamos sozinhos).

2 – Ficar psicologicamente preso ao momento do desencarne, ou seja, num grande sofrimento, para tentar evitar o que aconteceu, numa tentativa de se salvar. Neste caso ocorre como uma “fixação” do pensamento naquele momento, e o espírito fica preso, num processo de perturbação e sofrimento.

3 – Notar que desencarnou e ficar confuso (perturbação normal no momento do desencarne). Muitas vezes fica pensando que se trata de um pesadelo e que logo despertará.

4 – Adormecer e ser atendido diretamente em postos ou instituições de socorro no plano espiritual, ser despertado suavemente e esclarecido.

“Aquele que já está purificado, se reconhece quase imediatamente, pois que se libertou da matéria antes que cessasse a vida do corpo, enquanto que o homem carnal, aquele cuja consciência ainda não está pura, guarda por muito mais tempo a impressão da matéria.”(q. 164 de O Livro dos Espíritos)

Todo desencarnado passa por um processo de perturbação espiritual, que pode durar minutos ou muito tempo, tudo dependendo da sua evolução.

Nos casos de morte por acidente, essa perturbação tende a ser maior.

Geralmente, o Espírito fica confuso, sem ter consciência exata do que está acontecendo com ele.

E os suicidas?

Em alguns casos, como nos suicidas, sentem-se presos ao corpo de tal modo que, leva-os a ver e sentir os efeitos da decomposição; outros vão para as regiões umbralinas (região destinada a esgotamento de resíduos mentais); outros ainda, como conta no livro “Memórias de um suicida”, tornam-se presas de obsessores, que às vezes, também foram suicidas, entidades perversas e criminosas, que sentem prazer na prática de vilezas, e que continuam vivendo na Terra ao lado dos homens, contaminando a sociedade, os lares terrenos que não lhes oferecem resistências através da vigilância dos bons pensamentos e prudentes ações.

Quanto tempo os suicidas ficam presos ao corpo físico?

Não há previsão para o tempo que os suicidas ficam presos ao corpo vendo sua decomposição, vagando nas regiões umbralinas, prisioneiros de obsessores etc. Isso varia de espírito para espírito. É o tempo que levam para harmonizar sua mente e entenderem o apoio que está sendo dado a ele. Pois, há grupos de socorro para os Espíritos que sofrem.

Fernando Rossit

Fontes de Apoio:

-questões 163 e 164 de O Livro dos Espíritos-Allan Kardec

-Blog Grandes Médiuns

– http://grupoallankardec.blogspot.com.br/

Sobre Fernando Rossit

Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo". (fmrossit@yahoo.com.br)

Veja

É Hora do Recomeço

Como os Espíritos se Alimentam?