Home / Espiritismo / Colunas / Morte: Uma Nova Visão

Morte: Uma Nova Visão

Sidney Fernandes

Experiências de quase morte

O médico americano Raymond Moody Jr. desenvolveu uma pesquisa séria e impressionante do fenômeno da sobrevivência à morte física. Ele conduziu um estudo envolvendo mais de uma centena de indivíduos que experimentaram a morte clínica e reviveram. Seus relatos fornecem uma prova incontestável da sobrevivência da alma.

Quando eu era garoto, tinha um medo terrível de morrer. Costumava acordar de noite chorando e tendo acessos. Minha mãe e meu pai corriam para o quarto para saber o que tinha acontecido. Agora já não tenho medo de morrer. É que sei para onde vou quando deixar isto aqui, porque já estive lá antes.

Relatos como este começam a aparecer cada vez mais, oriundos de pessoas que passaram pela morte clínica e voltaram contando experiências extraordinárias que vivenciaram. Esses depoimentos compuseram uma espécie de modelo, um composto de elementos comuns encontrados em muitas histórias dos seus entrevistados.

***

Um homem está morrendo e, quando chega ao ponto de maior aflição física, ouve seu médico declará-lo morto. Sente-se em movimento através de um túnel longo e escuro. Ouve ruídos estranhos, parecidos com zumbidos ou campainhas.

Vê o seu corpo físico a distância e tem consciência de que está fora dele. Assiste aos esforços médicos tentando trazê-lo de volta à vida. Observa, em seguida, que ainda tem um corpo, mas de natureza e capacidade diferente do seu corpo físico.

Outros vêm ao seu encontro e o ajudam. Vê de relance os espíritos de parentes e amigos que já morreram e aparece diante dele um caloroso espírito de uma espécie que nunca encontrou antes — um espírito de luz. Este ser pede-lhe, sem usar palavras, que reexamine sua vida, e o ajuda mostrando uma recapitulação panorâmica e instantânea dos principais acontecimentos de sua vida, como se fosse rápida troca de slides, em vertiginosa projeção.

Em algum ponto encontra-se perto de uma espécie de barreira ou fronteira, representando aparentemente o limite entre a vida terrena e a vida seguinte. Descobre que precisa voltar para a Terra, que o momento da sua morte ainda não chegou.

 

Espiritismo

 

A melhor maneira de se conhecer o mundo dos mortos foi perguntar aos espíritos, de quem Allan Kardec obteve definitivas respostas.

O que é a alma? É o espírito encarnado, sendo o corpo apenas o seu envoltório. Como se opera a separação da alma do corpo?  Opera-se gradualmente, de acordo com as circunstâncias e segundo a natureza dos hábitos do indivíduo durante sua vida.

O recém-morto tem consciência da morte? Um grande número de espíritos, principalmente os que não se prepararam em vida para a morte, pode conservar a sensação de ainda estarem no corpo físico por algum tempo. Locomovem-se, ocupam-se e movimentam-se como se ainda estivessem no mundo.

Encontramos parentes depois da morte? Os que nos amam e nos precederam vêm nos receber e nos ajudam no desprendimento dos laços terrenos, quando partimos para o mundo espiritual. Pode ocorrer, entretanto, a privação desse contato, quando não o merecemos.

O Espiritismo desvendou definitivamente o véu que cobria a passagem da vida material para a espiritual, com milhões de manifestações dos espíritos dos mortos.

Conhecidas ou não, mas sempre identificadas, essas entidades voltaram e continuam se manifestando nos dias atuais, testemunhando como passaram para o lado de lá e como vivem, provando que se preocupam, torcem por nós e, na medida de nossas necessidades e merecimentos, nos protegem.

Trazem provas incontestáveis de que nascimento e morte são fenômenos naturais da vida e que não devem ser confundidos com desgraça ou castigo. Além da comprovação da imortalidade, o Espiritismo vem nos trazer, acima de tudo, o precioso alerta da principal finalidade da existência: a evolução espiritual.

Saibamos honrar a dádiva da vida!

 

Referências:

Vida depois da Vida, Raymond Moody Jr; Epístola aos Coríntios-I, Paulo; O que é o Espiritismo e O Livro dos Espíritos, Allan Kardec; Educação para a morte, J. Herculano Pires.

Sobre Sidney Fernandes

Avatar
Sidney Fernandes (1948@uol.com.br) nasceu em Bauru, em 1948. Gerente do Banco do Brasil e Empresário, hoje está aposentado e se dedica integralmente à veiculação do Espiritismo. Participou ativamente da Mocidade Espírita até integrar-se ao Centro Espírita Amor e Caridade de Bauru (SP). Escritor e orador profere palestras em várias cidades brasileiras. Veja página deste Autor

Veja

Quase me Matei!

Sidney Fernandes — Meu nome é Patrícia, mas desde que nasci carinhosamente todos me chamam …

Coração envenenado – Richard Simonetti

CORAÇÃO ENVENENADO Richard Simonetti richardsimonetti@uol.com.br – Aquele homem o cumprimentou… – Eu vi. – Não …

Um comentário

  1. Avatar
    Anna Regina Miranda

    Bom saber pois a unica coisa que peço sempre aos seres superiores é não me deixar em cima de uma cama sofrendo e fazendo os outros sofrerem se eu tiver merecimento disso mas creio que estou preparada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.