Home / Espiritismo / Colunas / Família: Conversar é Preciso

Família: Conversar é Preciso

Sidney Fernandes

PARTE 1

FAMÍLIA ESPIRITUAL E FAMÍLIA MATERIAL

Antigos laços de consanguinidade podem viabilizar a reunião de afeiçoados em moradias do plano espiritual. Familiares geralmente são espíritos com quem tivemos afeições anteriores.

Assim como os espíritos se agrupam em famílias, de acordo com seus pendores, a família terrestre, os povos e as cidades se formam pela reunião de criaturas simpáticas que se assemelham, constituindo o meio que lhes é próprio.

As pessoas de nossa família sempre têm um papel importante em nossas vidas. Com algumas, talvez, nos estranhemos. Outras nos tornarão mais fortes e nos darão novas lições. Todas contribuirão para a nossa inspiração e para o nosso crescimento.

Afinidade, laços de simpatia e objetivos que almejam formam grupos e famílias. Os bons, pelo desejo de fazerem o bem, os maus, pelo desejo de fazerem o mal, ambos pela necessidade de se aproximarem dos que se lhes assemelham. Destaque-se que os bons podem ir a toda parte, o que não acontece com os inferiores, que não têm acesso às moradias dos bons. Os laços sociais são necessários ao progresso e os de família acentuam essas uniões.

A comunicação entre o casal, irmãos, filhos e com amigos dos filhos é fundamental para que haja relação familiar saudável. Ela facilita a superação de diferenças que trazemos no insconsciente, de vidas anteriores, de mágoas, felizmente amenizadas pelo esquecimento, misericordiosa bênção de recomeço sem culpas.

Quando por trás das palavras há vida e sentimento, quando por trás dos gestos existe um ser humano, se dá então a possibilidade de quem ouve entender e de ser aceito por quem fala: é o momento da comunicação.

Uma boa comunicação familiar é o segredo para fortalecer e manter uma relação saudável entre pais, filhos, primos, avós, tios e outros membros e poderá desenvolver um vínculo familiar muito mais forte.

O que é comunicação indireta? Ela acontece quando há uma entidade intermediária entre quem recebe e envia a mensagem. Para que essa transmissão tenha sucesso e minimize os conflitos no ambiente em que vivemos, é preciso ter alguns cuidados, evitando que a informação seja interpretada de maneira incorreta.

As causas da comunicação indireta não se restringem aos vivos. Desencarnados se imiscuem nas vidas dos familiares. No livro Sexo e Destino, de André Luiz, temos vários exemplos dessas interferências, que trouxeram muitos desajustes e desentendimentos entre familiares. A influência do intermediário pode chegar, infelizmente, a crimes e vícios.

Referências: Fonte – IDE – Instituto de Desenvolvimento da Educação – A comunicação familiar – texto publicado no Portal da Família, em 25/11/11 ; Ser feliz é uma decisão, Sidney Fernandes.

 

– continua na parte 2 –

Sobre Sidney Fernandes

Sidney Fernandes (1948@uol.com.br) nasceu em Bauru, em 1948. Gerente do Banco do Brasil e Empresário, hoje está aposentado e se dedica integralmente à veiculação do Espiritismo. Participou ativamente da Mocidade Espírita até integrar-se ao Centro Espírita Amor e Caridade de Bauru (SP). Escritor e orador profere palestras em várias cidades brasileiras. Veja página deste Autor

Veja

Família: Conversar é Preciso

Sidney Fernandes PARTE 2 BARREIRAS DA COMUNICAÇÃO O exercício de comunicar estabelece uma relação e, …

Teremos um Natal Diferente?

Sidney Fernandes Finalmente teremos um Natal realmente cristão, em que a figura do aniversariante será …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.