Home / Espiritismo / Colunas / Evidências

Evidências

As obras que eu realizo em nome do meu Pai testemunham estas coisas a meu respeito.

(Jesus – João 10:25)

Ainda nos dias de hoje o Senhor Jesus é visto como um produtor de fatos miraculosos, e por isso admirado, sem a mesma contrapartida em relação aos Seus ensinos morais.

Em A Gênese, cap. XIII, explica Kardec:

“Na acepção etimológica, a palavra milagre (de mirac?lum, admirar) significa: prodígio, maravilha; coisa extraordinária. A Academia definiu-a deste modo: Um ato do poder divino contrário às leis da natureza, conhecidas.

No entender das massas, um milagre implica a ideia de um fato extranatural; no sentido teológico, é uma derrogação das leis da natureza, por meio da qual Deus manifesta o seu poder.

Demonstrando que o elemento espiritual é uma das forças vivas da natureza, força que incessantemente atua em concorrência com a força material, o Espiritismo faz que voltem ao rol dos efeitos naturais os que dele haviam saído, porque, como os outros, também tais efeitos se acham sujeitos a leis. Se for expulso da espiritualidade, o maravilhoso já não terá razão de ser e só então se poderá dizer que passou o tempo dos milagres.”

Dada a condição humana no relacionamento com a materialidade, e os reflexos condicionados desenvolvidos ao longo de seu processo evolutivo, onde os instintos, dentre eles o de conservação do status quo, se sobrepõem à espiritualização, temos extrema dificuldade de “enxergar” o que está por trás dos fenômenos produzidos por Jesus.

Segundo Ele, faltava, e ainda faltam, “olhos de ver”, para enxergarmos que as obras de Sua produção eram o testemunho de Sua origem e grandeza, daí também faltar “ouvidos de ouvir” para compreensão e aceitação de Sua mensagem libertadora para o Espírito imortal.

Se os “milagres” do Senhor, que impressionavam e ainda impressionam, foram produzidos, o foram, evidentemente, poque teriam em si a sua utilidade, quais sejam o socorro aos necessitados e sofredores, tanto quanto, implicitamente, o chamamento ao raciocínio a respeito da origem dos fatos e resultados, que terminariam pela condução ao conhecimento dos poderes do Espírito, e da grandeza Divina, que permite a sua produção por todos os Seus filhos, bastando o desenvolvimento pessoal de cada um.

Mais dia, menos dia, no entanto, a “água viva” que o Senhor tem para oferecer saciará a nossa sede espiritual, na proporção em que adentrarmos a realidade espiritual, com as ferramentas do raciocínio lógico e sem preconcepções dogmáticas, porque a nossa verdadeira “natureza”, que é espiritual, falará mais alto em nossas consciências incipientes.

Os fatos miraculosos produzidos por Jesus atestam, portanto, Sua autoridade Moral e a veracidade dos Seus ensinos. É disso que se trata.

Pensemos nisso.

 

Antônio Carlos Navarro

Sobre Antonio Carlos Navarro

Avatar
Espírita de São José do Rio Preto - SPFrequentador e Dirigente do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier em São José do Rio Preto, SP. Estudioso, palestrante e editor de inúmeros textos e conteúdo EspíritaGênero de livros Espírita que prefere: Mediunidade, DoutrinárioIniciou seus primeiros contatos com a Doutrina Espirita: 1986

Veja

Alimento dos Desencarnados

O entendimento sobre a questão da alimentação no Mundo Espiritual é de profunda importância. Quando …

A Prática do Bem como Ferramenta para a Evolução

“O homem, por sua vontade e ações, pode fazer com que os acontecimentos que deveriam …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.