Home / Espiritismo / Colunas / Eu sou aquela menina que tinha aqui

Eu sou aquela menina que tinha aqui

A frase que dá título a esse ensaio foi pronunciada pelo garoto Dráuzio, aos dois anos de idade, e está inserida no extraordinário livro Reencarnação no Brasil, de Dr. Hernani Guimarães Andrade.

Nesse livro o eminente pesquisador descreve seis casos sugestivos de reencarnação, e os descreve detalhadamente.

A história, que resumimos, começa com o desencarne da menina Maria Aparecida, aos três anos de idade, vitimada por um atropelamento na cidade de Aramina, estado de São Paulo, no ano de 1969.

Com o desespero instalado no seio da família os pais buscaram, com ajuda de amigos espíritas, conforto junto ao médium Francisco Cândido Xavier que lhes disse: Não se desesperem, a alegria voltará ao lar de vocês, acrescentando que a menina renasceria no lar deles novamente.

Quinze meses depois nasceu um menino que recebeu o nome de Dráuzio, e desde os primeiros meses começou a dar sinais que sugeriam ser ele a reencarnação de Maria Aparecida, e que enumeramos abaixo:

– Reconheceu, aos cinco meses de idade, a bicicleta com a qual o pai levava a filha desencarnada;
– Aos sete meses respondeu verbalmente à avó usando palavras e expressões de Maria Aparecida;
– Com um ano e dois meses reconheceu a gaveta de ferramentas da barbearia do pai e indicou a localização de um equipamento elétrico que a menina tinha como uma “borboleta”;
– Reconheceu, com um ano e oito meses, ao passar em frente, a antiga casa onde a família morara com a menina, dizendo que havia morado naquela casa e queria ver o galinheiro da vovó;
– Um mês depois, ao passar pelo local onde a menina sofrera o acidente, Dráuzio imediatamente acusou dor no abdômen, região em que Maria Aparecida foi atingida;
– Aos dois anos pronunciou a frase título deste ensaio;
– Reconheceu uma violinha que um irmão mais velho havia ganhado antes de seu renascimento e um travesseiro utilizado pela menina que estava secando dependurado no varal. Nesta oportunidade pegou o travesseiro e, imitando, disse que havia dormido assim “quando fora aquela menina”;

Por último, para não nos alongarmos demasiadamente, uma passagem determinante para o convencimento de que se tratava da reencarnação de Maria Aparecida: A mãe passava roupas de Dráuzio e se lembrou das roupas que passara da menina, e esta lembrança a emocionou levando-a às lágrimas. O menino Dráuzio, com menos de três anos, e que brincava ao lado da mãe, percebeu o que se passava, interrompeu sua brincadeira lhe dizendo:

– “Mamãe, eu voltei!”

A mãe, não compreendendo o que Dráuzio dissera, perguntou-lhe:

– “Voltou de onde?”

E o menino confirmou:

– “Voltei, ora…”

Há muitos outros fatos e detalhes acerca desse caso, e por isso sugerimos a leitura completa do capítulo, como também dos outros cinco casos analisados no referido livro do Dr. Hernani. Todos eles referendam fartamente o mecanismo da reencarnação.

Pesquisas como essa convencem porque são fatos, e contra fatos não há argumentos.

A Lei Divina estabeleceu a reencarnação como mecanismo que atende os quesitos bondade e justiça para desenvolvimento de Seus filhos, levando-os da simplicidade e ignorância à perfeição relativa, que corresponde ao céu mitológico criado pelas religiões dos homens.

Se o mecanismo existe para um espírito, deve, por extensão, existir para todos, e se o espírito que animou Maria Aparecida retornou para animar a personalidade de Dráuzio, assim nós outros já animamos outras personalidades no passado, num processo ascendente constante que visa o nosso próprio progresso.

Pensemos nisso.

Antônio Carlos Navarro

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <http://wallstreetinsanity.com/3-year-old-claims-to-remember-who-killed-him-in-past-life-leads-police-to-body/>. Acesso em 22DEZ2015.

Originally posted 2015-12-22 23:06:22.

Sobre Antonio Carlos Navarro

Avatar
Espírita de São José do Rio Preto - SPFrequentador e Dirigente do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier em São José do Rio Preto, SP. Estudioso, palestrante e editor de inúmeros textos e conteúdo EspíritaGênero de livros Espírita que prefere: Mediunidade, DoutrinárioIniciou seus primeiros contatos com a Doutrina Espirita: 1986

Veja

A carne é Fraca

“Há tendências viciosas que são evidentemente próprias do Espírito, porque se apegam mais ao moral …

“Seo” Arvito

O senhor Arvito (1) foi um homem exemplar, e tivemos um prazer especial em conviver …