terça-feira , agosto 14 2018
Home / Espiritismo / Colunas / Escolhas e prioridades

Escolhas e prioridades

Sempre haverá muitas opções de escolha para agirmos diante da vida, mas também sempre haverá prioridades.

Há um excesso de informações nos alcançando por todo tipo de mídia – quais nos interessam?
A prioridade deveria ser a que é construtiva e que nos faculta uma condição melhor para crescimento em todos os âmbitos.

Há um excesso de pessimismo nos envolvendo.A prioridade deveria ser nos adequarmos, após análise crítica, ao otimismo necessário ao futuro melhor.

Há uma onda de violência ainda presente e muito disseminada por todos nós. A prioridade deveria ser focarmos a violência que há em nós, procurando nos transformar em ovelhas do Senhor.

Há um consumismo material nos envolvendo e bombardeando.
A prioridade deveria ser a análise fria – será que aquele bem material é realmente necessário?

Há um enovelar constante das conexões sociais nos levando de roldão, mantendo-nos ao largo da produção útil ao espírito.
A prioridade deveria ser a utilização racional e útil das redes sociais, para fugirmos da desconexão da realidade em que estamos inseridos.

Há uma insistência generalizada para o desfrute dos prazeres que a modernidade oferece.
A prioridade deveria ser o equilíbrio decorrente do bem estar físico e moral diante das Leis Naturais.

Há uma disputa no campo da fé, misturando mercantilismo e proselitismo.
A prioridade deveria ser o culto legítimo fundamentado no servir ao próximo como gostaríamos de ser servidos.

Há muitos objetivos traçados por nós mesmos para consecução nesta vida.
A prioridade deveria ser os objetivos essenciais ao espírito imortal.

Há muitas inteligências, encarnadas e desencarnadas, que nos influenciam na forma de pensar.
A prioridade deveria ser a autonomia pessoal decorrente do conhecimento das Leis Naturais, tendo como Guia e Modelo Nosso Senhor Jesus Cristo.

Sempre haverá opções de comportamentos desafiando nossa moralidade e inteligência.
A prioridade deveria ser o desenvolvimento de nossos espíritos na aplicação do “amai-vos e instruí-vos”, porque, em essência, somos seres espirituais em necessárias vivências materiais.

De onde viemos, e para onde vamos, tudo o que é inútil ao espírito se lhe transforma em peso morto, que deverá ser alijado dos ombros e substituídos pelo peso vivo das conquistas eternas e imprescindíveis para a nossa felicidade.

Sempre será uma questão de escolha, mas também sempre será uma questão de “a cada um segundo suas obras” para que possamos reforçar as conquistas por meio do retorno positivo natural, ou refletir através da dor que a ilusão espiritual proporciona.

Pensemos nisso.

Antônio Carlos Navarro

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://justonelap.com/balance-routine-priorities/>. Acesso em: 24JAN2017.

Originally posted 2017-01-26 07:05:54.

Sobre Antonio Carlos Navarro

Espírita de São José do Rio Preto - SP Frequentador e Dirigente do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier em São José do Rio Preto, SP. Estudioso, palestrante e editor de inúmeros textos e conteúdo Espírita Gênero de livros Espírita que prefere: Mediunidade, Doutrinário Iniciou seus primeiros contatos com a Doutrina Espirita: 1986

Veja

O que Espero, o que se Espera

No campo da convivência diária temos por hábito esperar das pessoas, entre outras coisas: Acertos …

O Perispírito e a Lei de Gravidade

No primeiro capítulo da segunda parte de O Livro dos Espíritos, Allan Kardec, tratando da …