Home / Espiritismo / Doutrina Espirita / Entrevista com Mozart

Entrevista com Mozart

Qual o mundo que habitas? Ali és feliz?

Resp. – Júpiter. Nele desfruto de grande calma; amo a todos os que me rodeiam; não temos ódio

Dir-te-ei o que em nosso mundo entendemos por melodia. Por que não me evocaste mais cedo? Ter-te-ia respondido.

O que é melodia?

Resp. – Para ti muitas vezes é uma lembrança da vida passada; teu Espírito recorda aquilo que entreviu num mundo melhor.

No planeta em que habito – Júpiter – há melodia em toda parte: no murmúrio da água, no crepitar das folhas, no canto do vento; as flores sussurram e cantam; tudo torna os sons melodiosos. Sê bom; conquista esse planeta por tuas virtudes; bem escolheste, cantando a Deus: a música religiosa auxilia a elevação da alma. Como gostaria de vos poder inspirar o desejo de ver esse mundo onde somos tão felizes! Todos somos caridosos; tudo ali é belo e a Natureza é tão admirável! Tudo nos inspira o desejo de estar com Deus. Coragem!

Coragem! Acreditai em minha comunicação espírita: sou eu mesmo que aqui me encontro; desfruto do poder de vos dizer o que experimentamos; possa eu vos inspirar bastante o amor ao bem, para vos tornardes dignos desta recompensa, que nada é ao lado de outras a que aspiro!

Nossa música é a mesma em outros planetas?

Resp. – Não; nenhuma música poderá vos dar uma idéia da música que temos aqui: é divina! Oh! Felicidade! Faz por merecer o gozo de semelhantes harmonias: luta! coragem! Não possuímos instrumentos: os coristas são as plantas e as aves; o pensamento compõe e os ouvintes desfrutam sem audição material, sem o auxílio da palavra, e isso a uma distância incomensurável. Nos mundos superiores isso é ainda mais sublime.

Qual a duração da vida de um Espírito encarnado em outro planeta que não o nosso?

Resp. – Curta nos planetas inferiores; mais longa nos mundos como esse em que tenho a felicidade de estar; Em Júpiter ela é, em média, de trezentos a quinhentos anos.

Haverá alguma vantagem em voltar-se a habitar a Terra?

Resp. – Não; a menos que seja em missão, porque então avançamos.

Não se seria mais feliz permanecendo na condição de Espírito?

Resp. – Não, não! Estacionar-se-ia e o que se quer é caminhar para Deus.

É a primeira vez que me encontro na Terra?

Resp. – Não; mas não posso falar do passado de teu Espírito.

Eu poderia ver-te em sonho?

Resp. – Se Deus o permitir, far-te-ei ver a minha habitação em sonho, e dela guardarás lembrança.

Eu poderia ver-te?

Resp. – Sim; crê e verás; se tivesses mais fé, ser-nos-ia permitido dizer o porquê; tua própria profissão é um laço entre nós.

Como entraste aqui?

Resp. – O Espírito atravessa tudo.

Estás ainda muito longe de Deus?

Resp. – Oh! Sim!

Melhor que nós, compreendes o que seja a eternidade?

Resp. – Sim, sim, mas não o podeis compreender no corpo.

Que entendes por Universo? Houve um início e haverá um fim?

Resp. – Segundo vós o Universo é a Terra! Insensatos! O Universo não teve começo nem terá fim; considerai que é obra de Deus; o Universo é o infinito.

Que devo fazer para aperfeiçoar o meu talento?

Resp. – Podes evocar-me; obtive a permissão de inspirar-te.

Quando eu estiver trabalhando?

Resp. – Certamente! Quando quiseres trabalhar, estarei perto de ti algumas vezes.

Ouvirás a minha obra? (uma obra musical do interpelante).

Resp. – És o primeiro músico que me evoca; venho a ti com prazer e ouço as tuas obras.

Como explicar que não tenhas sido evocado?

Resp. – Fui evocado; não, porém, por músicos.

Por quem?

Resp. – Por várias damas e curiosos, em Marselha.

Vês minha mãe?

Resp. – Ela está reencarnada na Terra.

Em que corpo?

Resp. – Nada posso dizer a propósito.

E meu pai?

Resp. – Está errante para auxiliar no bem; fará tua mãe progredir; reencarnarão juntos e serão felizes.

Ele me vem ver?

Resp. – Muitas vezes; a ele deves teus impulsos caritativos.

Foi minha mãe quem pediu para reencarnar-se?

Resp. – Sim; tinha grande vontade de elevar-se por uma nova prova e adentrar num mundo superior à Terra; já deu um passo imenso nesse sentido.

Que queres dizer com isso?

Resp. – Ela resistiu a todas as tentações; sua vida na Terra foi sublime, comparada com seu passado, que foi o de um Espírito inferior. Assim, já galgou alguns degraus.

Havia escolhido, então, uma prova acima de suas forças?

Resp. – Sim, foi isso.

Quando sonho que a vejo, é ela própria que aparece?

Resp. – Sim, sim.

Obrigado, Mozart; adeus.

Resp. – Crede, crede, estou aqui… Sou feliz… Crede que há mundos acima do vosso… Crede em Deus… Evocai-me mais frequentemente, e em companhia de músicos; ficarei feliz em vos instruir e em contribuir para a vossa melhoria, e em vos ajudar a subir para Deus.

Postado por Fernando Rossit

Revista Espírita de 1858

Originally posted 2015-05-26 14:42:20.

Sobre Fernando Rossit

Avatar
Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Dr. Drausio Varella: Homossexualidade

Originally posted 2016-10-30 18:26:57.

O Pior Inimigo

Um homem, admirável pelas qualidades de trabalho e pelas virtudes do caráter, foi percebido pelos …

3 comentários

  1. Avatar
    Carlos Magno Albano Ramos

    Se o espírito de Mozart veio do planeta Júpiter, um mundo mais evoluido que o nosso, e que é habitado por espíritos mais evoluidos em inteligência e moral, como explicar o seu comportamento moral, encarnado na terra, descrito por biógrafos e mostrado no filme AMADEUS,sendo um homem irresponsável e incompetente fora da música, de caráter extravagante, alcólatra, viciado em sexo, de senso de humor grosseiro?

    – Me parece que um espírito de elevada condição moral, habitante de Júpite,não condiz com estas caracterisiticas.

  2. Avatar

    Teachers in these applications emphasize the core areas of studying, grammar and writing, incorporating them
    into listening and communication follow. http://finnhsbkr.pointblog.net