quinta-feira , janeiro 17 2019
Home / Espiritismo / Colunas / Encontro com o Chico

Encontro com o Chico

Há tempos acalentávamos a ideia de conhecermos pessoalmente o museu e o túmulo de Chico Xavier, quando surgiu, há algumas semanas, a oportunidade através de uma excursão, que também tinha no programa de viagem a participação no Culto do Evangelho no Grupo Espírita da Prece, também de Chico Xavier, e visita ao Hospital do Fogo Selvagem. Imediatamente incluímo-nos no grupo de visitantes.

A viagem aconteceu neste primeiro sábado de março, e foi muito, mas muito recompensadora, em todos os sentidos.

Já na formação do grupo para embarque surpreendemo-nos com a presença de velhos amigos, dentre os quais se destacou o grande professor Benedicto Silva, um dos maiores esperantistas de todo o mundo e amigo pessoal de Chico Xavier, de longa data, tendo traduzido livros do Chico para o Esperanto, o idioma neutro internacional.

Durante a viagem de ida, assistimos, mais uma vez, ao filme “Chico Xavier”, o que só fez aumentar a expectativa em relação às visitas programadas.

A primeira parada se deu no museu, que tem uma ampla livraria na sua fachada, e do seu interior têm-se acesso à antiga casa do grande médium.

Tudo encanta os visitantes, mas o que é realmente incrível é a simplicidade das instalações, dos móveis e objetos que
eram de uso do Chico, o que nos remete ao sentimento de estarmos em um ambiente que já nos seria profundamente conhecido, e nos leva ao pensamento de que ali, naquela que foi a residência de um dos maiores representantes do Senhor Jesus na Terra, passaram, em visita, presidentes da república, políticos de alta importância para o país, cientistas, artistas renomados, empresários, profissionais e poderosos de todo tipo, para buscar orientação, consolo, uma palavra amiga, sem contar os veículos de comunicação nacionais e internacionais, e os muitos pais em busca de notícias de seus filhos amados já desencarnados.

É uma lição sobre os reais valores do espírito imortal. O que conta mesmo é a superioridade moral, que impõe uma autoridade irresistível.

No Hospital do Fogo Selvagem, segunda visita do programa de viagem, conhecemos um pouco mais da grandiosa obra de Dona Aparecida, que do “nada” que tinha nas mãos construiu um oásis no deserto das aflições humanas, para tratamento de uma doença desesperadora.

Chico Xavier teve participação fundamental na obra de Dona Aparecida. Alguns fatos foram descritos pelo pessoal do Hospital que nos recepcionou.

Após o almoço participamos do Culto do Evangelho no Grupo Espírita da Prece. A simplicidade e singeleza também se fizeram presentes, seguindo a mesma linha da residência visitada.

No culto, o livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo” apresentou-nos, para as reflexões da tarde, nas Instruções dos Espíritos do Capítulo XI, a mensagem do espírito Lázaro, intitulada “Lei de Amor”, amplamente comentada por diversos estudiosos uberabenses. Não poderia ser, para nós visitantes, mensagem mais apropriada, porque estávamos conferindo pessoalmente do que o amor é capaz de proporcionar quando vivenciado na sua maior pureza, como o fez Chico Xavier, o chamado “Homem Amor”.

Por último, fomos ao cemitério visitar o túmulo que recebeu os despojos físicos do grande médium. Sabemos todos que o espírito segue sua trajetória em outro nível, mais vivo do que nunca, mas visitarmos o túmulo ainda faz parte de nossa cultura e também serve para reverenciarmos a memória dos que nos são caros ao coração.

Enfim, foi um dia muito especial, com muitas alegrias em um clima de muita fraternidade e paz interior, que nos deu a impressão de que realmente estivemos com o Chico.

Não poderíamos encerrar sem descrever um fato curioso. Durante o almoço, com o restaurante lotado e os garçons se desdobrando para atender a todos, pedimos as bebidas para acompanhar as refeições, e um dos garçons serviu, para o responsável direto pelo planejamento, organização e condução do programa de viagem um refrigerante, cujas latas o fabricante tem personalizado com nomes, e que na dele, coincidentemente e sem premeditação, estava impresso o nome “Chico”.

Pensemos nisso.

Antonio Carlos Navarro

Sobre Antonio Carlos Navarro

Espírita de São José do Rio Preto - SP Frequentador e Dirigente do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier em São José do Rio Preto, SP. Estudioso, palestrante e editor de inúmeros textos e conteúdo Espírita Gênero de livros Espírita que prefere: Mediunidade, Doutrinário Iniciou seus primeiros contatos com a Doutrina Espirita: 1986

Veja

A Educação

O vocábulo educação aparece vinte e nove vezes em O Livro dos Espíritos (1). A …

Quem vai mudar todas as coisas

Por menos estejamos informados a cerca dos acontecimentos que envolvem a humanidade, todos nós temos …