Home / Espiritismo / Colunas / É PRECISO ACREDITAR

É PRECISO ACREDITAR

É preciso acreditar em dias melhores. Sem esperança, imperceptíveis se tornam os passos dados na estrada do progresso, ampliando a dificuldade em notar que hoje estamos mais perto do destino do que estivemos ontem.
Mais que isso, é preciso acreditar no ser humano. A descrença na capacidade das pessoas evoluírem em valores e virtudes leva à falta de investimento no homem: escasseiam oportunidades de fazer diferente, negam-se reinícios, recusam-se perdões, mesmo o amor passa a receber menores investimentos para frutificar.
As crises vivenciadas pela humanidade não são recentes e estão sendo agravadas pela comunicação veloz através da qual absorvemos quase sem pensar a negatividade despejada por vários meios, e por, ao mesmo tempo, não escutarmos mais a própria alma.
E como psicologicamente é mais fácil gravar a experiência negativa, exigindo que a positiva seja repetida várias vezes para ressignificar valores e impregnar o coração de bondade, muitas pessoas acabam por recepcionar o mal, recusando novas perspectivas que poderiam trazer o bem em resposta.
Perigoso isso. Negar oportunidade à consciência do que está havendo no mundo e conosco, com a consequência de junto recusar possibilidades de mudanças, é fuga improdutiva que acabará por nos deixar prisioneiros dos próprios enganos.
Fomos ensinados pelo Cristianismo e o Espiritismo reforça esse conceito, a não esperar muito do próximo, mas a amá-lo incondicionalmente; por outro lado, devemos esperar o máximo de nós, cobrando-nos novas posturas transformadoras, pois efetivamente somente é possível mudar a si – isso exige autoconhecimento, consciência da própria condição.
Para não cairmos na estagnação que estimula a depressão e a inatividade no bem é preciso acreditar no amanhã alimentando a esperança; é urgente acreditar no próximo dando-lhes novas oportunidades; e sobretudo é imperativo acreditar em nós mesmos, na nossa capacidade nascida da vontade real de alterar a rota da permissividade, do comodismo, do desânimo, das semeaduras infelizes enfim, para trilhar uma estrada mais produtiva que nos levará à angelitude e à felicidade tão longamente ansiadas.
Acreditemos na esperança e no próximo.
Acreditemos em nós! 

Originally posted 2015-12-16 08:00:59.

Sobre Vania Mugnato de Vasconcelos

Avatar

Veja

O Frio que Enregela a Alma

Não é incomum que só a aflição pessoal motive suficientemente o ser humano, alterando sua …

A Fraqueza dos Bons

Filmes de ação comumente têm heróis que apanham, são ingênuos, pouco se defendem, quase morrem …