Home / Espiritismo / Doutrina Espirita / Coração envenenado – Richard Simonetti

Coração envenenado – Richard Simonetti

CORAÇÃO ENVENENADO

Richard Simonetti

richardsimonetti@uol.com.br

– Aquele homem o cumprimentou…

– Eu vi.

– Não responde?

– Para mim ele não existe. Quero que se dane!

– Meu Deus! Que raiva é essa? Alguma desavença grave?

– Muitas. É meu ex-chefe. Aborreceu-me por muito tempo.  Exigente demais, com mania de perfeição, sempre a cobrar maior empenho dos subordinados. Tivemos atritos homéricos…

– Não parece má pessoa…

– Quem vê cara não vê coração. Além do mais me perseguia. Quando surgiu a oportunidade de uma promoção preferiu indicar um colega menos qualificado. Foi tremendamente injusto comigo!

– Isso é meio complicado, porquanto a visão de quem nos avalia pode ser diferente da nossa.

– Sim, principalmente quando objetiva favorecer um protegido…

– Não é mais seu subordinado?

– Felizmente, não. Quero distância desse pilantra! Até tremo quando o vejo. Mau caráter!

– Cuidado. Raiva é ácido no coração. Não é melhor esquecer?

– Prefiro morrer envenenado a ensaiar qualquer gesto de boa vontade em favor dessa cobra peçonhenta que tanto me aborreceu!  Jamais esquecerei que fui prejudicado em minha carreira por culpa dele…

– Pelo que sei você é um homem religioso, presta reverência a Deus…

– Claro! Mas isso não tem nada a ver com o assunto de que falamos.

– Está equivocado. Afinal, seu ex-chefe também é filho de Deus…

– E daí?

– Você é um homem inteligente. Não terá dificuldade em responder a uma pergunta elementar: É possível reverenciar um pai detestando seu filho?

***

No Evangelho:

Ouvistes o que foi dito:

         “Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo”.

         Eu, porém, vos digo:

         Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, para que vos torneis filhos de vosso Pai que está nos Céus.

Ele que faz levantar-se o sol sobre bons e maus e descer a chuva sobre justos e injustos.

Porque se amardes aos vos amam, que recompensa tereis?

Não fazem o mesmo os publicanos?

E se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de especial?

 Não fazem os gentios também o mesmo?

Sede, portanto, perfeitos, como perfeito é o vosso Pai Celestial (Mateus, 5:43-48).

 

Sobre Sidney Fernandes

Avatar
Sidney Fernandes (1948@uol.com.br) nasceu em Bauru, em 1948. Gerente do Banco do Brasil e Empresário, hoje está aposentado e se dedica integralmente à veiculação do Espiritismo. Participou ativamente da Mocidade Espírita até integrar-se ao Centro Espírita Amor e Caridade de Bauru (SP). Escritor e orador profere palestras em várias cidades brasileiras. Veja página deste Autor

Veja

Uma mágoa não é motivo para outra mágoa – Sidney Fernandes

UMA MÁGOA NÃO É MOTIVO PARA OUTRA MÁGOA Sidney Fernandes 1948@uol.com.br Um padre mandou Chico …

A Coragem do Codificador – por Sidney Fernandes

Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br No século XIX, um renomado escritor, professor e tradutor, pronunciou palavras …