segunda-feira , agosto 20 2018
Home / Espiritismo / Colunas / Como será sua Casa no Mundo Espiritual?

Como será sua Casa no Mundo Espiritual?

Sua casa será construída de matéria própria do mundo espiritual. A construção será feita de forma muito parecida com a nossa: primeiro será concebida pelo pensamento, pela vontade de construí-la. Depois os Espíritos habilitados utilizarão a matéria espiritual até dar um resultado final desejado.

“Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais, não manipulando-os como os homens manipulam os gases, mas empregando o pensamento e a vontade. Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem. Pelo pensamento, eles imprimem àqueles fluidos tal ou qual direção, os aglomeram, combinam ou dispersam, organizam com eles conjuntos que apresentam uma aparência, uma forma, uma coloração determinadas; mudam-lhes as propriedades, como um químico muda a dos gases ou de outros corpos combinando-os segundo certas leis. É a grande oficina ou laboratório da vida espiritual.” (1)

Não é exatamente assim que fazemos por aqui? Primeiro pensamos, idealizamos nossa casa, depois os engenheiros e arquitetos fazem a planta. Finalmente, entregamos a construção nas mãos das pessoas que têm a capacidade para construí-la: pedreiros, pintores etc.

Para erguer nossa casa precisamos de vários materiais que combinados oferecem o conjunto desejado: tijolos, cimento, areia, telhas, tinta etc.

No mundo espiritual também os espíritos irão combinar a matéria do mundo espiritual para a construção de casas. Os Espíritos agem com a força do pensamento e são treinados para agirem como os técnicos/profissionais do nosso mundo.

E saiba de uma coisa muito interessante: tudo no mundo espiritual é sólido para os espíritos desencarnados como o chão aqui é para nós. Para eles a casa, os utensílios, as roupas, os veículos, as plantas etc, são tão sólidos como o material mais resistente o é para nós outros aqui no nosso mundo.

“Esses fluidos têm para os Espíritos uma aparência tão material, quanto a dos objetos tangíveis para os encarnados, e são, para eles, o que são para nós as substâncias do mundo terrestre. Eles os elaboram e combinam para produzirem determinados efeitos, como fazem os homens com os seus materiais, ainda que por processos diferentes.”(1)

Frequentemente amigos e familiares desencarnados já nos aguardam com uma casa pronta: podemos morar temporariamente com eles como hóspedes ou definitivamente (enquanto permanecermos desencarnados). Afinal, as cidades espirituais já existem e elas possuem casas, escolas, ruas, avenidas, parques etc. Tudo já está pronto.

Alguma coisa diferente daqui? Não, nada diferente.

Quando você nasceu já existia um mundo pronto para você aqui também. Você nasceu numa cidade e casa que já tinham sido construídas.

Com o tempo você cresceu e – se for um brasileiro “sortudo” –   pôde construir sua própria casa do jeitinho que você queria, não?

Poderá ocorrer o mesmo com você após a desencarnação. Chegando ao Plano Espiritual, familiares e amigos queridos o acolherão e levarão para uma casa (ninguém se encontra em desamparo). Depois você poderá adquirir a sua também (já pronta) ou construí-la se tiver capacidade para isso.

André Luiz nos relata, no livro Nosso Lar, que quando chegou àquela cidade foi gentilmente convidado a morar na residência da Sra Laura. Ela e toda a sua família eram trabalhadores de Nosso Lar.

Terá André Luiz, hoje – se ainda estiver residindo em Nosso Lar -, sua própria casa? É provável que sim, pois lá as residências podem ser adquiridas com a moeda local: o bônus-hora.

Essas casas, inclusive, podem ser deixadas de herança. Só que a herança naquela cidade ocorre em sentido inverso: o Espírito desencarnado deixa de herança um imóvel quando sai da cidade para reencarnar. Aqui, deixamos bens de herança quando desencarnamos.

Como a matéria do Plano Espiritual é bem menos grosseira que a nossa, os imóveis não ficam sujeitos à deterioração, isto é, não ficam velhos e não precisam ser demolidos.

Não existem reformas, mas alterações/mudanças, conforme o gosto, com as casas “em pé”, sem necessidade de demolição para construção de uma nova.

Mas não nos esqueçamos que o local para onde iremos assim que deixarmos o corpo físico estará subordinado à nossa condição espiritual: equilíbrio, paz interior, prática do bem etc, enfim, atitudes e ações que poderão nos conferir merecimento para desfrutarmos de uma vida mais feliz.

Fernando Rossit

Bibliografia:

1-“A Gênese”, Cap. XIV, Alan Kardec

2-“Devassando o Invisível”, Nada de Novo, Ivonne Pereira

Sobre Fernando Rossit

Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Ninguém está Só

Você conhece a lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees? O pai …

Não te Esqueças da Fome que Devora

Não te esqueças da fome que devora  Teus irmãos agonizando entre riquezas Não te esqueças …