Home / Sidney Fernandes (página 4)

Sidney Fernandes

Sidney Fernandes (1948@uol.com.br) nasceu em Bauru, em 1948. Gerente do Banco do Brasil e Empresário, hoje está aposentado e se dedica integralmente à veiculação do Espiritismo. Participou ativamente da Mocidade Espírita até integrar-se ao Centro Espírita Amor e Caridade de Bauru (SP). Escritor e orador profere palestras em várias cidades brasileiras. Veja página deste Autor

A crise acontece – Emmanuel

A CRISE ACONTECE Emmanuel – Chico Xavier É um momento infalível na existência de cada um. A pessoa, bastas vezes, se acredita realizada, por haver concretizado aspirações que lhe pareciam demasiado altas, entretanto, o teste espiritual de confiança aparece de improviso. É o parente que fraquejou em obrigações assumidas, comprometendo …

Leia mais »

Recados da espiritualidade – Sidney Fernandes

RECADOS DA ESPIRITUALIDADE Sidney Fernandes 1948@uol.com.br          É uma doutrina, esta, dos anjos guardiães, que, pelo seu encanto e doçura, deverá converter os mais incrédulos.  Allan Kardec, O Livro dos Espíritos   Genivaldo Barbosa herdara dos avós e dos pais o respeito pelos animais e pela natureza. Cuidava muito bem …

Leia mais »

Um materialista cristão

UM MATERIALISTA CRISTÃO Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br          Adaptação da página A Festa, do livro Carcereiros, de Drauzio Varella, e da página Um choque de realidade, do livro O grande desafio, de Richard Simonetti Geralmente guardamos prudente distância de lugares desagradáveis. De uma prisão, por exemplo, onde o ambiente é …

Leia mais »

Aceitação

Richard Simonetti richardsimonetti@uol.com.br Perguntavam a Chico como conseguia conservar a tranquilidade ante tantas solicitações de multidões ávidas de consolo e conforto que o procuravam. O médium respondia com uma única palavra: aceitação. Se bem analisarmos, verificaremos que muitas de nossas perturbações e desajustes nascem de reações negativas, ante as situações …

Leia mais »

Morrendo de sede, dentro d’água – Sidney Fernandes

MORRENDO DE SEDE, DENTRO D’ÁGUA Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br A fé sincera é ginástica do Espírito. Quem não a exercitar de algum modo, na Terra, preferindo deliberadamente a negação injustificável, encontrar-se-á, mais tarde, sem movimento. André Luiz, Os Mensageiros E possível morrer de sede dentro da água potável? Richard Simonetti …

Leia mais »

Sintonia e Pressentimentos – Sidney Fernandes

Ah! Interrogai vossos anjos guardiães; estabelecei entre eles e vós essa ternura íntima que reina entre os melhores amigos. Allan Kardec, questão 495, O Livro dos Espíritos   Lembro-me do ocorrido, em minha infância, num dia em que eu, meu pai e minha mãe saíamos de um clube, depois de …

Leia mais »

O salário da alegria – Richard Simonetti

Richard Simonetti richardsimonetti@uol.com.br   Rosália deixou o hospital três dias após o parto, trazendo um tesouro, o filho Tiago, e uma enorme frustração: a impossibilidade de amamen­tá-lo. Inteligente e esclarecida, conhecia a impor­tância do aleitamento em favor do desenvolvimento infantil. Queria o menino resistente e saudável, sus­tentado por nutrientes adequados, …

Leia mais »

Instintos Do Passado – Sidney Fernandes

INSTINTOS DO PASSADO Pois já os meus olhos viram a tua salvação. Lucas, 2:30 Em magnífico trabalho denominado Cérebro – Agente ou Gerente do Espírito?, Richard Simonetti faz referência ao reflexo condicionado como parte do processo evolutivo da alma. Dirigindo-se aos contestadores da reencarnação, que a consideram inútil por não …

Leia mais »

Os passes estão chegando…

O Espiritismo se firma na ciência e não há entre eles qualquer incompatibilidade. Gabriel Delanne Certa ocasião, Allan Kardec colocou um menino em seu colo e disse: — Este menino um dia será uma personalidade de destaque no Espiritismo. Esse menino era François-Marie-Gabriel Delanne, que nasceu em Paris, França, em …

Leia mais »

A proteção de Vó Felícia

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias. Salmos, 23:6   Os sonhos eram recorrentes. Sempre a mesma cena. Sônia identificava perfeitamente sua avó Felícia e seu avô Fabiano. Estavam felizes, sorridentes e pareciam …

Leia mais »