Home / Espiritismo / Colunas / Assinatura Misteriosa

Assinatura Misteriosa

Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br

A matemática é o alfabeto no qual Deus escreveu o universo.

Galileu Galilei

 

— Os elementos fundamentais da vida são produzidos e trocados pelas células, sob a coordenação de um software que, segundo alguns cientistas, não pode estar localizado dentro do corpo humano, porquanto este está sujeito a constantes mutações.

— O ácido desoxirribonucleico ou DNA é um composto orgânico contendo seis bilhões de informações genéticas que definem as características dos seres vivos, condensadas numa estrutura microscópica extremamente eficiente.

— As asas de uma borboleta, as ramificações de uma árvore, o formato da concha náutilo, os hexágonos da casca de um abacaxi, as sementes do girassol e múltiplos outros detalhes da natureza, assim como as medidas do corpo, o formato da orelha e o rodamoinho do cabelo humano, e ainda, as nuvens de um furacão, as estrelas das galáxias e as ondas do mar — tudo segue um padrão lógico, geométrico e perfeito.

O que há de comum nessas afirmativas? O desconhecimento humano.

No entanto, um número cada vez maior de cientistas, ao se debruçarem sobre a origem e a complexidade da vida, começam a cogitar das evidências de que um ser superior deixou sua assinatura sobre a sua obra. O padrão que se repete, por si mesmo, deixa claro que um arquiteto pensou, planejou e executou o universo como observamos.

***

Será que necessitaremos dos primores de cultura e inteligência para conceber a solução desse enigma? Precisaremos recorrer aos antigos sábios da Grécia ou da Índia, ou ainda à espiral de Leonardo Fibonacci, para entender a origem da vida?

Melhor ficarmos com o Espírito Meimei, em Ideias e Ilustrações:

Conta-se que um velho árabe analfabeto orava com tanto fervor e com tanto carinho, cada noite, que, certa vez, o rico chefe de grande caravana chamou-o à sua presença e lhe perguntou:

— Por que oras com tamanha fé? Como sabes que Deus existe, quando nem ao menos sabes ler?

O crente fiel respondeu:

—Grande senhor, conheço a existência de Nosso Pai Celeste pelos sinais dele.

—Como assim? — indagou o chefe, admirado.

O servo humilde explicou-se:

—Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente, como reconhece quem a escreveu?

—Pela letra.

—Quando o senhor recebe uma joia, como é que se informa quanto ao autor dela?

—Pela marca do ourives.

O empregado sorriu e acrescentou:

—Quando ouve passos de animais, ao redor da tenda, como sabe, depois, se foi um carneiro, um cavalo ou um boi?

—Pelos rastos — respondeu o chefe, surpreendido.

Então, o velho crente convidou-o para fora da barraca e, mostrando-lhe o céu, onde a Lua brilhava, cercada por multidões de estrelas, exclamou, respeitoso:

—Senhor, aqueles sinais lá em cima não podem ser dos homens!

Nesse momento, o orgulhoso caravaneiro, de olhos lacrimosos, ajoelhou-se na areia e começou a orar também.

***

Começamos este texto relacionando algumas afirmativas cujas causas não podem ser atribuídas à inteligência humana. Parafraseando Allan Kardec em Obras Póstumas, poderíamos afirmar que, se as causas não estão na humanidade, por ser esta impotente para produzi-las, ou sequer para entendê-las, temos que chegar à incontestável conclusão de que elas estão acima da humanidade.

Os efeitos que relacionamos não se produziram ao acaso.

Deus não joga dados — já afirmava Einstein.

Desde a organização do mais pequenino inseto e da mais insignificante semente, até a lei que rege os mundos que circulam no Espaço, tudo atesta uma idéia diretora, uma combinação, uma previdência, uma solicitude que ultrapassam todas as combinações humanas. A causa é, pois, soberanamente inteligente.

Allan Kardec

***

O Espiritismo nos ensina, com clareza definitiva, em O Livro dos Espíritos, como encontrarmos a prova de Deus:

Num axioma que aplicais às vossas ciências — esclarecem os espíritos. Não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem e a vossa razão responderá.

Por todos os cantos do universo encontramos a divina assinatura do Ser Supremo que nos criou. Além da origem, a sustentabilidade dos mundos é mantida pela ordem celeste, a que somos convidados a participar, cooperando para que sejam cumpridas as leis divinas.

Continuarão afirmando os materialistas que a vida teria surgido espontaneamente a partir das leis da física, concebendo que a própria matéria teria capacidade organizadora. Esquecem-se, no entanto, esses cientistas, que alguém precisou criar as leis da física.

Fiquemos com Emmanuel:

Em todos os reinos da natureza palpita a vibração de Deus, como o Verbo Divino da Criação Infinita, e, no quadro sem-fim do trabalho da experiência, todos os princípios, como todos os indivíduos, catalogam os seus valores e aquisições sagradas para a vida imortal.

Sabemos que a aglutinação molecular, bem como o motor transcendente do mundo, obedeceu ao sopro gerador da vida, oriundo do Todo-Poderoso e lançado sobre o infinito da criação universal; contudo, achamo-nos ainda na situação do aluno que encontrou a escola já edificada, cabendo-nos louvar e buscar, pelo trabalho e pelo aperfeiçoamento, o seu Divino Autor.

Sobre Sidney Fernandes

Avatar
Sidney Fernandes (1948@uol.com.br) nasceu em Bauru, em 1948. Gerente do Banco do Brasil e Empresário, hoje está aposentado e se dedica integralmente à veiculação do Espiritismo. Participou ativamente da Mocidade Espírita até integrar-se ao Centro Espírita Amor e Caridade de Bauru (SP). Escritor e orador profere palestras em várias cidades brasileiras. Veja página deste Autor

Veja

A Cura

Sidney Fernandes   Em existência anterior, Cláudio abusou de seu poder e esmagou Celso, prejudicando …

Caminhe Com os Meus Sapatos

Sidney Fernandes – 1948@uol.com.br Espalhou-se para o mundo o vídeo de um menino que, ao …