domingo , dezembro 17 2017
Home / Espiritismo / Doutrina Espirita / Mariana ou Paris: por que há quem critique a Solidariedade alheia?

Mariana ou Paris: por que há quem critique a Solidariedade alheia?

amor

Você já foi criticado por prestar solidariedade, em uma rede social, às vítimas de uma tragédia? Você se irrita quando um amigo manifesta solidariedade? Você se incomoda com quem se irrita com a solidariedade alheia? Se respondeu “sim” a ao menos uma das questões acima, você, provavelmente, se envolveu na mais recente polêmica entre usuários do Facebook: a “patrulha” da solidariedade.

As recentes tragédias de Mariana (MG) e Paris provocaram divergências entre usuários da rede. Depois dos atentados na capital francesa no dia 13/11/15, o Facebook criou a possibilidade de o usuário trocar a imagem do perfil e ter a bandeira francesa ao fundo para manifestar solidariedade às vítimas. Mas e o desastre humanitário e ambiental provocado pelo rompimento das barragens da mineradora Samarco em Minas Gerais? E os atentados em outros países?

Brasileiros que manifestaram solidariedade às vítimas de Paris tiveram de, direta ou indiretamente, lidar com críticas de amigos. “É lamentável o que aconteceu na França, triste, revoltante. Mas e o nosso povo? Será que saber falar francês faz deles, diferentes dos brasileiros, mineiros, humanos?”, postou uma usuária do Facebook, incomodada com a falta de imagens de perfil com as cores da bandeira brasileira para homenagens as vítimas de Minas.

Quem se solidarizou com as vítimas de Paris reagiu. “Um dos grandes objetivos dos facebookistas é invalidar. Seja a dor, a indignação, a luta alheia. Se alguém encampa uma causa, já surge alguém que diga que tem outra melhor e mais justa, que e a comentada é menos importante”, ironizou um usuário.

Para a professora Elizabeth Saad, professora titular do departamento de Jornalismo da ECA-USP (Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo), a discórdia não surpreende. “É um comportamento de tese e antítese na sociedade. Isso é muito normal. Sempre que acontece um posicionamento coletivo, vai ter quem é contra. Faz parte do comportamento social em grupo. Não culpem a rede por isso estar acontecendo. Ela somente acelera o processo.”

 

Originally posted 2015-12-05 10:21:17.

Sobre Fernando Rossit

Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas “Associação Espírita Allan Kardec” e “Centro Espírita Irmão Gerônimo”. (fmrossit@yahoo.com.br)

Veja

Melindre

Já ouviram falar de melindre? É uma palavra bonitinha que define o estado de espírito …

Como Vivem os Espíritos: Colônias Espirituais, Vestimentas, Alimentação etc

As Colônias Espirituais Os livros de André Luiz dão-nos informações detalhadas a respeito da vida …