Home / Espiritismo / Colunas / Senhor, não te importa que pereçamos?

Senhor, não te importa que pereçamos?

Senhor, não te importa que pereçamos?

Por Jane Maiolo

 

 “…tendes necessidade de ser fortaleza e união, a fim de que possais enfrentar as tempestades que se aproximam.” [1]

 

A palavra tempestade vem do latim tempestate que significa tormenta, agitação. As tempestades são fenômenos atmosféricos naturais marcados por ventos fortes, trovoadas, relâmpagos, raios e chuvas.

A Doutrina Espírita nos ensina que somos espíritos e como tal compreendemos que fomos criados simples e ignorantes, quer dizer, sem ciência e sem conhecimento do bem e do mal, mas perfectíveis e com uma igualdade de aptidão para tudo adquirir e tudo conhecer com o tempo.[2]

Porém o tempo, ah, o tempo! Esse soberano amigo, existe para marcar os limites entre o ontem, o hoje e dar-nos a expectativa do amanhã,  na matéria ou fora dela.

O espírito após mergulhar na experiência física utiliza o tempo e a liberdade, ou livre arbítrio, para realizar suas conquistas, sejam elas positivas ou negativas.

Tal como a formação das tempestades,  que se dá por uma separação entre nuvens positivas e negativas, as nossas nuvens sentimentais seguem a mesma lei natural, ao ponto de um dia as manifestações dos fenômenos eclodirem na nossa vida.

Nos períodos de permanência na matéria,  naturalmente conhecemos momentos angustiosos e sentimos as tempestades se formarem em torno dos nossos projetos existenciais,  alçando-nos à categoria de seres amedrontados.

Nuvens de pessimismo.

Raios de incompreensão.

Trovoadas de calúnias.

Descargas elétricas de sofrimento.

Enxurradas de vaidade.

Enchentes de tragédias.

O espírito encarnado pressente o gênero de provas que sofrerá nos períodos que antecedem suas experiências amargas. Quem, encarnado no mundo de provas e expiações, como a Terra, está isento da dor ocasionada pela morte? Da presença da doença incurável? Da ausência dos seres amados? Dos flagelos naturais ou provocados pelo homem em profundo desequilíbrio?

As tempestades nos agitam e nos atormentam. Assim também são nossas emoções. Elas, as tempestades emotivas, talvez, sejam mecanismos divinos para sanear ou depurar nossas atmosferas  de ilusão.

Perante os períodos de turbulência necessários agarrarmo-nos aos pára-raios da fé e vivenciarmos nossas experiências conscientes da imortalidade, da proteção divina e de que toda e qualquer dor ou separação daqueles que amamos é passageira. O que é eterno apenas é o Amor de Deus por suas criaturas, nunca o sofrimento e o medo.

As tempestades que aludia Erasto, espírito que fora discípulo de Paulo de Tarso, ao endereçar sua missiva aos espíritas lioneses, no banquete de 19 de setembro de 1861,  referiam à propagação do Espiritismo e aos ataques que receberiam dos adversários . Atualmente, porém, nossas maiores tormentas se dão justamente pela carência da sincera vivência do Espiritismo, em face da invigilância, falta de estudo e de descompromisso com a vida espiritual.

É importante sermos fortes e unirmos esforços para fazer frente às tempestades que se aproximam, haja vista todas as tragédias que diariamente vimos surgir no seio da sociedade, sob o ponto de vista, político, econômico, cultural, religioso e sobretudo nas relações afetivas.

Raios de chacinas.

Vendavais de fundamentalismo, feminicidios.

Trovoadas de corrupções, assaltos, roubos e extorsões.

Dilúvios de ódios injusticáveis.

Roguemos ao Senhor da vida que acalme a tempestade dos nossos sentimentos na frágil embarcação da fé.

Se o temor dos dias difíceis nos tornarem vulneráveis, procuremos ver, sentir e confiar no Cristo que foi, é e sempre será o comandante da embarcação terrestre.

Acalmemo-nos, a tempestade passará!

É professora de Ensino Fundamental, formada em Letras e pós-graduada em Psicopedagogia. Formanda em Psicanálise pelo Instituto Brasileiro de Psicanálise Contemporânea, Colaboradora da Sociedade Espírita Allan Kardec de Jales. Pesquisadora do Evangelho. Colaboradora da Agenda Brasil Espírita- Jornal O Rebate /Macaé /RJ – Jornal Folha da Região de Araçatuba/SP –Blog do Bruno Tavares –Recife/PE – colaboradora do site www.kardecriopreto.com.br- Revista Verdade e Luz de Portugal, Revista Tribuna Espírita de João Pessoa, Apresentadora do Programa Sementes do Evangelho da Rede Amigo Espírita. Janemaiolo@bol.com.br –

 

Bibliografia

1-Kardec , Allan. Revista Espírita, “Banquete Oferecido ao Sr. Allan Kardec”,  Ano  IV , 1861, editora Edicel, 2002

2 Kardec, Allan. Obras Póstumas, III Criação, item 15, Araras – SP: Ed. IDE , 2008

Sobre Jane Maiolo

Avatar
Jane Maiolo – É professora de Ensino Fundamental, formada em Letras e pós-graduada em Psicopedagogia. Colaboradora da Sociedade Espírita Allan Kardec de Jales. Pesquisadora do Evangelho de Jesus. Colaboradora da Agenda Brasil Espírita- Blog do Bruno Tavares Recife/PE - Jornal O Rebate /Macaé /RJ – Jornal Folha da Região de Araçatuba/SP -Apresentadora do Programa Sementes do Evangelho da Rede Amigo Espírita. janemaiolo@bol.com.br

Veja

Crenças Inflexíveis – Por Jane Maiolo

“Quero pois que os homens orem em todo lugar levantando mãos santas sem ira nem …

O “Locus minoris resistentae” do Movimento Espírita

Por Jane Maiolo  “Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.