sexta-feira , dezembro 14 2018
Home / Espiritismo / Colunas / Como Encontrar um Marido Ideal

Como Encontrar um Marido Ideal

casamento

Um amigo de muitos anos me disse que teve uma conversa séria com sua filha:

-Patrícia (nome fictício), bom mesmo é que você não se case. Não tem perfil para isso. Se ocorrer, você terá inúmeros problemas e o casamento durará pouco. Pior será se nesse período você tiver filhos. Você é uma pessoa muito autoritária, de difícil trato, quase insuportável a convivência com você.

E dizia para mim: – Fernando, amo demais minha filha, faço tudo por ela, mas é a mais pura realidade. A única saída para ela é encontrar um homem paciente, bondoso, que tenha facilidade para perdoar e releve tudo que ela fizer.

-Desde que não seja o meu filho, respondi. Pois ele tem esse perfil e eu não desejo que ele sofra.

Rimos à beça.

Essa história real resume muito bem o que acontece com relativa frequência. Pessoas de difícil trato, por terem consciência que não conseguirão manter uma união com pessoas que possuem o mesmo temperamento, buscam parceiros com personalidade que se encaixe no perfil acima: um parceiro resignado, paciente, educado, amável e por aí vai.

Tenho inúmeros exemplos disso, inclusive amigos próximos. Mas o que vejo é o relacionamento se tornar uma prisão para a “vítima” escolhida, eleita para suportar uma pessoa que deseja se impor e refratária a qualquer mudança íntima. Nessas uniões não existe companheirismo, amizade, respeito pela individualidade do parceiro.

São sempre uniões infelizes, que trazem sofrimento para todos, inclusive para os filhos e pais.

Trata-se do mais claro exemplo de obsessão de encarnado para encarnado que tenho observado, isto é, domínio que um espírito encarnado exerce sobre outro encarnado.

Quase sempre o parceiro dominado é afastado dos amigos e da sua própria família, incluindo pai e mãe.

Sei de casos que a mulher (ou homem) não permite que o cônjuge sequer ligue para seus pais no dia de Natal.

Já vi mães chorarem na minha frente porque o filho (a) não ligou para dizer feliz aniversário porque o cônjuge não permitiu.

Mas tudo isso pode ser evitado se ficarmos atentos na fase do namoro – período destinado para se conhecer. Precisamos estar despertos para não cair numa armadilha difícil de sair, transformando nossas vidas num inferno que envolve filhos, irmãos e pais numa malha de sofrimento.

Sugiro a leitura do Capítulo “Namoro” do livro Vida e Sexo de Emmanuel. É claro que no início é mais difícil conhecer todas as características de personalidade do parceiro, mas aí já começam as restrições, às vezes pequenas, mas que vão aumentando na medida que o tempo passa. Podem começar com pequenos impedimentos quanto ao futebol e pescaria com amigos, por exemplo. Depois vêm outras. Assim é a obsessão – vai se instalando aos poucos até o domínio total.

Uma vez o Sr. Rubens Campos (*) me disse que uma jovem mulher o procurou no Kardec para lhe falar sobre seu noivo. Tratava-se de um homem de difícil trato, agressivo, ciumento e autoritário.

-Largue dele enquanto é tempo, disse Sr. Rubens.

-Mas não posso – respondeu a jovem. – Já distribuí os convites para o nosso casamento. Além do mais, o amo e constituir uma família é a realização do meu sonho.

Depois daquele dia a mulher nunca mais apareceu no Kardec.

Passados vários anos, Sr. Rubens e D. Elba (sua esposa) estavam numa sorveteria quando uma senhora tocou-lhe no ombro.

-Lembra-se de mim? – disse ela.

E antes que Sr. Rubens procurasse nos arquivos da memória essa lembrança, ela continuou:

-Sou aquela jovem que lhe procurou no Kardec para pedir conselhos a respeito do meu casamento e o Senhor me disse para não entrar em barco furado, se lembra?

E continuou: – Refleti bem e cheguei à conclusão que o Sr. estava certo. Voltei pra casa naquele dia, conversei com meus pais e cancelei o casamento. Foi a mais acertada decisão da minha vida.

-Hoje sou casada com um homem maravilhoso, um presente de Deus para mim.

Nesse ínterim, chamou: – Carlos (nome fictício), vem cá que quero lhe apresentar a pessoa que me ajudou a encontrá-lo.

Eram os proprietários da sorveteria.

*Sr. Rubens Campos, ex-diretor do Kardec, desencarnado em 2008)

Fernando Rossit

Originally posted 2016-02-04 07:56:26.

Sobre Fernando Rossit

Fernando Rossit é funcionário público e reside em São José do Rio Preto. Espírita desde 1978, atua em várias tarefas nas casas espíritas "Associação Espírita Allan Kardec" e "Centro Espírita Irmão Gerônimo".

Veja

Perdoados mas não Limpos

Em nossas faltas, na maioria das vezes, somos imediatamente perdoados, mas não limpos. Fomos perdoados …

Pena de Morte para os Criminosos

Entre os que advogam o estabelecimento da pena de morte em nosso país, há os …